A superação da dicotomia objetividade x subjetividade na Geografia e seus reflexos sobre os estudos das relações de espaciais de poder e os conceitos de território e territorialidade

Autores

  • Jaime Bernardo Neto INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - CAMPUS NOVA VENÉCIA

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2021.e72906

Palavras-chave:

Geografia, Materialidade, Simbolismo, Território, Territorialidade

Resumo

Em consonância com o que ocorria em outras áreas do conhecimento na segunda metade do século XX, a dicotomia materialidade x simbolismo (ou objetividade x subjetividade) começa a ser superada na Geografia – ao menos no que tange à análise das relações espaciais de poder - ao longo de seu movimento de renovação no período pós-guerra, sobretudo a partir da década de 1970, quando as ideias de pensadores como Michael Foucault e Pierre Bourdieu, dentre outros, são explicitamente incorporadas por muitos teóricos da Geografia que se dedicavam a refletir sobre tal temática, como Paul Claval e Claude Raffestin. Esse avanço teórico trouxe consigo significativas transformações sobre a principal ferramenta conceitual da Geografia para análise dessas relações: o conceito de território e seu derivado, a territorialidade.

Biografia do Autor

Jaime Bernardo Neto, INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - CAMPUS NOVA VENÉCIA

Licenciado, Bacharel e Mestre em Geografia pela UFES

Doutor em Geografia pela UFF

Professor do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Nova Venécia do Instituto FEderal do Espírito Santo

Ex-servidor de carreira do INCRA  - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (2006-2014), onde atuou no serviço de Regularização de TErritórios Quilombolas da Supeirntendência REgional do Espírito Santo.

Referências

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ANDRADE, Manoel Correia de. Geografia: Ciência da Sociedade. Uma Introdução à Análise do Pensamento Geográfico. São Paulo: Atlas, 1987.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2012. 16ª Edição.

CASTORIADIS, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. 2ª Edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986 [1982].

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

CLAVAL, Paul. Espaço e Poder. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

CLAVAL, Paul. Epistemologia da Geografia. Florianópolis: Editora UFSC, 2012.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Petrópolis, Editora Vozes: 1998. 3a Edição.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 20ª Edição. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2004.

GODELIER, Maurice. A parte ideal do real. In: Carvalho, Edgar de Assis (Org.). Antropologia. São Paulo: Ática, 1981.

GOTTMANN, Jean. The signifcance of territory. Charlottesville: The university Press of Virginia, 1973.

HAESBART, Rogério. O mito da desterritorialização. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012. 7ª Ed.

_______. Regional-Global. Dilemas da Região e da Regionalização na Geografia Contemporânea. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

HALBWACH, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2003.

HALL, Stuart; CERNICCHIARO, Ana Carolina (trad.). Etnicidade: identidade e diferença. Crítica cultural – Critic, Palhoça, SC, v.11, n.2, p.317-327, jul./dez.2016.

HOBSBAWM, Eric. Era do Capital (1848-1875). São Paulo: Editora Paz e Terra, 2015.

HOBSBAWM, Eric. A invenção das tradições. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

HOBSBAWM, Eric. Nações e nacionalismos: desde 1870. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

MASSEY, Doreen. Pelo Espaço. Uma nova política da espacialidade. 4a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido de Retrato do Colonizador. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Território e História no Brasil. São Paulo: Annablume, 2005. 2a Edição.

MORAES, Antônio Carlos Robert. Geografia: pequena história crítica. São Paulo: Annablume, 2007.

POLLACK, Michael. Memória, Esquecimento, Silêncio. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, 1989. p. 3-15.

POLLACK, Michael. Memória e Identidade Social. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, 1992, p. 200-212.

RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Editora Ática, 1993.

SACK, Robert David. Human Territoriality: its theory and history. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Editora Record, 2000.

SANTOS, Milton. O retorno do Território. In: SANTOS, M; SOUZA, M.A. de; SILVEIRA, M.L. Território – Globalização e Fragmentação. São Paulo: Hucitec, 1994b.

TUAN, Yi Fu. Topofilia. Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 2012.

TUAN, Yi Fu. Espaço e Lugar. São Paulo: Difel, 1983.

YOUNG, Iris. Five Faces of Oppression. In: HELDKE, Lisa, e O´CONNOR, Peg. “Opression, Privilege and Resistance”. Boston: Mcgraw Hill, 2004.

WALLERSTEIN, Immanuel. Impensar a Ciência Social. Os limites dos paradigmas do século XIX. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2006.

Downloads

Publicado

2021-04-08

Edição

Seção

Artigos