O sistema Tiānxià (天下) como estratégia do Zhōngguó (中国) – reflexões sobre a transição hegemônica mundial no longo século XXI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2020v35n77p166

Palavras-chave:

China, Estados Unidos, Geopolítica internacional, Transição hegemônica, Crise da globalização neoliberal

Resumo

O presente artigo visa analisar a hipótese de transição hegemônica mundial a partir do declínio relativo dos Estados Unidos e da ascensão anti-imperialista da China, baseada no conceito chinês de Tiānxià  (天下). Utilizando-se do método empírico-dedutivo, o objetivo principal é demonstrar que esse processo de longa duração vem se acelerando no século XXI. Considera-se como variável independente a crise da globalização neoliberal, que possibilita vislumbrar uma transfiguração sistêmica a partir de aspectos relacionados à resiliência chinesa, principalmente após a pandemia da Covid-19. Desta forma, busca-se demonstrar que a China se apresenta como alternativa concreta ao neoliberalismo financeirizado ao alocar o embrionário Estado coletivista como centro da sua estrutura de reprodução econômica.

Biografia do Autor

Bernardo Salgado Rodrigues, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Economia Política Internacional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ-PEPI (2020). Atualmente é integrante do Laboratório de Estudos de Hegemonia e Contrahegemonia (LEHC-UFRJ) e do Grupo de Trabalho "China y el Mapa del Poder"; do Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO). 

Carlos Eduardo da Rosa Martins, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Graduado em Sociologia e Política pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1990), mestre em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (1996) e doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2003). Professor Associado II do Instituto de Relações Internacionais e Defesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do quadro permanente do Programa de Pós Graduação em Economia Política Internacional (PEPI/UFRJ). Coordenador do Labóratório de Estudos sobre Hegemonia e Contra-Hegemonia de LEHC/UFRJ, pesquisador do CLACSO nos Grupos de Trabalho de Estudos sobre Estados Unidos, de Integração Regional e Unidade Latino-americana e China no Mapa do Poder Mundial. Integra a Red de Estudios de la Economia Mundial (REDEM) sediada na Benemérita Universidade Autónoma de Puebla (BUAP). Detentor do Premio Jabuti de obra de não-ficção 2007 pela co-autoria e coordenação de Latinoamericana: enciclopédia contemporânea de América Latina e Caribe. É autor de Globalização. dependência e neoliberalismo na América Latina, publicado pela Boitempo, em 2011, e em inglês, em 2020, pela editora Brill, em versão atualizada e ampliada

Referências

ARRIGHI, Giovanni. Adam Smith em Pequim: origens e fundamentos do século XXI. São Paulo: Boitempo, 2008.

ARRIGHI, Giovanni. O longo século XX: dinheiro, poder e as origens de nosso tempo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BLACKWILL, Robert D.; HARRIS, Jennifer M.. War by other means: geoeconomics and statecraft. Cambridge, Massachusetts: The Belknap Press Of Harvard University Press, 2016.

CHINA. State Council. . Made in China 2025: 《中国制造2025》. 2015.

CHINA. Youth urged to contribute to realization of 'Chinese dream'. 2013. Disponível em: http://www.china.org.cn/china/2013-05/05/content_28731285.htm. Acesso em: 5 maio 2013.

ECONOMY, Elizabeth C.; LEVI, Michael. By all means necessary: How China’s resource quest is changing the world. New York: Oxford University Press, 2014.

ENCINA, Cladia Labarca. El capitalismo confuciano en La era de La globalización: nuevas bases para construir xinyong y guanxi - lecciones para Chile. Estudios Internacionales (163), pp.23-46, 2009.

FIORI, José Luís da Costa. O poder global e a nova geopolítica das nações. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

FIORI, José Luis. O sistema interestatal capitalista no início do século XXI. In: FIORI, J.L.; MEDEIROS, C.A. & SERRANO, F. O Mito do Colapso do Poder Americano. Rio de Janeiro: Record, 2008.

FRANKOPAN, Peter. The new silk roads: the present and the future of the world. London: Bloomsbury Publishing, 2018.

GABRIELE, Alberto. Enterprises, Industry and Innovation in the People's Republic of China: questioning socialism from deng to the trade and tech war. London: Springer, 2020.

GONG, Maoguo; WANG, Shanfeng; LIU, Wenfeng; YAN, Jianan; JIAO, Licheng. Evolutionary computation in China: a literature survey. Caai Transactions On Intelligence Technology, [S.L.], v. 1, n. 4, p. 334-354, out. 2016.

JABBOUR, Elias. China, socialismo e desenvolvimento – sete décadas depois. São Paulo: Anita Garibaldi; Fundação Maurício Grabois, 2019.

JABBOUR, Elias; DANTAS, Alexis. “The political economy of reforms and the present Chinese Transition”. Brazilian Journal of Political Economy, v. 37, n. 4, p. 789-807, 2017.

JABBOUR, Elias; PAULA, Luis Fernando de. “A China e a “socialização do investimento”: uma abordagem Keynes-Gerschenkron-Rangel-Hirschman”. Revista de Economia Contemporânea. N. 22, v. 1, p. 1-23, 2018.

JIN, Xu. Debates in IR Academia and China's Policy Adjustments. The Chinese Journal of International Politics, v.9, n.4, p.459-489, 2016.

KAVALSKI, Emilian (Ed.). The Ashgate Research Companion to Chinese Foreign Policy. Surrey: Ashgate Publishing, 2012.

KISSINGER, Henry. Sobre a China. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

KONDRATIEV, Nicolai. Los ciclos largos de la coyuntura economica. México D.F.: Unam, 1992.

LEONARD, Mark. What does China think? London: Fourth Estate, 2008.

LIMA, Marcos Costa. A nova teoria das relações internacionais chinesa e a ascensão do país: o conceito de Tianxia. In: VADELL, Javier (Org.). A expansão econômica e geopolítica da China no século XXI. Belo Horizonte: Editora Puc Minas, 2018. Cap. 1. pp. 13-42.

LIN, Zhou. O 5G abre as portas para o futuro. China Hoje, São Paulo, ano 5, n. 30, p. 18-20, Abr/Mai 2020.

MAÇÃES, Bruno. Belt and Road: a chineses world order. London: Hurst, 2018.

MAJEROWICZ, Esther; MEDEIROS, Carlos Aguiar de. Chinese industrial policy in the geopolitics of the information age: the case of semiconductors. Revista de Economia Contemporânea, [S.L.], v. 22, n. 1, p. 1-28, 11 jun. 2018. FapUNIFESP (SciELO).

MARTINS, Carlos Eduardo. Globalização, dependência e neoliberalismo na América Latina. São Paulo : Boitempo, 2011.

MAZAT, Numa; SERRANO, Franklin. A geopolítica das relações entre a Federação Russa e os EUA: da ⠼cooperação⠽ ao conflito. Oikos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 5-35, 2012.

MILANI, Carlos. Aprendendo com a história: críticas à experiência da Cooperação Norte-Sul e atuais desafios à cooperação Sul-Sul. Caderno CRH, vol.25, n.65, pp.211-231, 2012.

NAPOLEONI, Loretta. Maonomics: por que os comunistas chineses se saem melhores capitalistas do que nós. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.

NAUGHTON, Barry. Is China Socialist? Journal Of Economic Perspectives, Nashville, v. 31, n. 1, p.3-24, 2017.

NIU, Haibin. A Grande Estratégia Chinesa e os BRICS. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, v. 35, n. 1, p.197-229, jan./jun. 2013.

NOGUEIRA, Isabela; GUIMARÃES, João Victor: BRAGA, João Pedro. “Inequalities and capital accumulation in China”. Brazilian Journal of Political Economy, v. 39, n. 3, p. 449-469, 2017.

PADULA, Raphael. A geopolítica estadunidense e a Eurásia. In: FIORI, José Luis (org.). Sobre a guerra. Petrópolis: Vozes, 2018. p. 340-370.

PIKETTY, Thomas; YANG, Li; ZUCMAN, Gabriel. “Capital accumulation, private property and rising inequality in China”. NBER Working Paper, n. 23368, Apr. 2017.

RAMO, Joshua Cooper. The Beijing Consensus: notes on the new physics of chinese Power. London: Foreign Affairs Policy Centre, 2004.

RODRIGUES, Bernardo Salgado. La nueva arquitectura financiera mundial: Perspectivas del Banco de los BRICS y del Banco del Sur. In: TAVILLA, Pablo; ROBBA, Alejandro (Ed.). Congreso de Economía Política Internacional año 2014. Unm Editora, 2015. p. 79-92.

RODRIGUES, Bernardo Salgado. Geopolítica, desenvolvimento e integração na América do Sul?: os projetos de poder estadunidense e chinês na amazônia sul-americana (2001-2016). 2020. 392 f. Tese (Doutorado) - Curso de Economia Política Internacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.

RODRIGUES, Bernardo Salgado. La nueva arquitectura financiera mundial: Perspectivas del Banco de los BRICS y del Banco del Sur. In: TAVILLA, Pablo; ROBBA, Alejandro (Ed.). Congreso de Economía Política Internacional año 2014. Unm Editora, 2015. p. 79-92.

SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial. São Paulo: Edipro, 2016.

SHAMBAUGH, David. China goes global: the partial power. New York: Oxford University Press, 2013.

SISCI, Francesco. A brave new China: the big chance. Firenze: Goware, 2014.

STUENKEL, Oliver. BRICS: e o futuro da ordem global. Rio de Janeiro/são Paulo: Paz e Terra, 2017.

STUENKEL, Oliver. O mundo pós-ocidental: potências emergentes e a nova ordem global. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

VADELL, Javier. La iniciativa BRICS y China: entre la emergencia y la irrelevancia. Nova Economia, [S.L.], v. 29, n. 2, p. 401-428, ago. 2019. FapUNIFESP (SciELO).

VADELL, Javier. Rumo ao século chinês? A relação Estados Unidos-China pós 11/09. Carta Internacional, Belo Horizonte, v. 6, n. 2, p.97-111, jul./dez. 2011.

VADELL, Javier; RAMOS, Leonardo; NEVES, Pedro. As implicações internacionais do modelo chinês de desenvolvimento do Sul Global: Consenso Asiático como network power. In: LIMA, Marcos Costa (Org.). Perspectivas Asiáticas. Rio de Janeiro: Folio Digital, 2016. p. 67-90.

VADELL, Javier; SECCHES, Daniela; BURGER, Mariana. De la globalización a la interconectividad: reconfiguración espacial en la iniciativa belt & road e implicaciones para el sur global. Revista Transporte y Territorio, [S.L.], n. 21, p. 44-68, 1 out. 2019. Editorial de la Facultad de Filosofia y Letras - Universidad de Buenos Aires.

WALLERSTEIN, Immanuel. El moderno sistema mundial II: el mercantilismo y la consolidación de la economía-mundo europea 1600-1750. Madri: Siglo XXI, 1984.

WALLERSTEIN, Immanuel. The modern world system II: Mercantilism and the Consolidation of the European World-Economy, 1600-1750. Bingley: Emerald, 1980.

WHITLER, Kimberly A. What Western Marketers Can Learn from China. Harvard Business Review, 2019.

XIN, Zhang. Desenvolvimento da IA renova a economia global. China Hoje, São Paulo, v. 5, n. 30, p. 29-31, Abr/Mai 2020.

XINHUA (China). Xi emphasizes "struggles" to achieve national rejuvenation. Xinhua Net. Beijing, 3 set. 2019.

YAN, Xuetong. From Keeping a Low Profile to Striving for Achievement. The Chinese Journal Of International Politics: Pequim, 2014. p. 153-184.

Downloads

Publicado

2020-12-07