A parceria sino-russa e a disputa pela Eurásia: imperativos geopolíticos e alianças conjunturais pelo controle do continente basilar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2020v35n77p196

Palavras-chave:

China, Rússia, Eurásia, Geopolítica, Balança de poder

Resumo

O objetivo do artigo é analisar a parceria sino-russa atual, a partir das teorias geopolítica e de balança de poder. Argumenta-se que a força motriz desta aproximação na segunda década do século XXI se dá no sentido de diminuir a influência de potências extrarregionais sobre a Eurásia – sobretudo dos EUA, devido ao seu poder e presença oriundos do final da Guerra Fria – que representam uma ameaça estratégica comum aos interesses russo e chinês. Esse aspecto pode ser identificado nas diferentes frentes de cooperação sino-russa que possuem um caráter estratégico. Na impossibilidade de detalhar cada aspecto da parceria em um só artigo, esse trabalho dará luz à cooperação energética, à cooperação na Ásia Central e à integração eurasiática com liderança sino-russa.

Biografia do Autor

Ticiana de Oliveira Alvares, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Economia Política Internacional. Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Economia Política Internacional - UFRJ (2020). Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014). Especialista em Estudos Estratégicos Internacionais Contemporâneos pelo PPGEEI-UFRGS (2017). Diretora de Planejamento do Instituto da Brasilidade. Coordenou a Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (2017), foi Chefe de Gabinete da Deputada Manuela DAvila (2015-2016), coordenou a área de educação e políticas públicas para juventude no mandato da deputada Federal Manuela DAvila (2010-2014). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em planejamento, economia do setor público. Assumiu o mandato de Vereadora de Porto Alegre no ano de 2015. Trabalhou na área de relações internacionais, como vice-presidente da Federação Mundial das Juventudes Democráticas, tendo organizado eventos como o XVI Festival Mundial da Juventude e dos Estudantes (FMJE, 2005, Caracas), e XVII FMJE em 2010, Pretória, na África do Sul).

Raphael Padula, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Coordenador e Professor Permanente da Pós-Graduação em Economia Política Internacional (PEPI) do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor Associado da UFRJ desde 2009, da área de Economia Política Internacional. Graduado em Ciências Econômicas pela UFRJ (2004), Mestre (2005) e Doutor (2010) em Engenharia de Produção pela COPPE-UFRJ, com tese de doutorado intitulada "Integração regional de infra-estrutura e comércio na América do Sul nos anos 2000: uma análise político-estratégica". Editor da revista Oikos desde 2002. Membro dos grupos de pesquisa registrados no CNPq "O poder global e a geopolítica do capitalismo" e "A inserção internacional brasileira: projeção global e regional". Pesquisador-Bolsista do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) no Projeto: ?Integração Regional: O Brasil e a América do Sul?. Realiza pesquisa e possui publicações nas seguintes áreas: Economia Política Internacional, Geopolítica, Geoeconomia, Integração Regional, Desenvolvimento Comparado.

Referências

ALVARES, T. Rússia e China: uma parceria estratégica pela multipolaridade. Dissertação de Mestrado, PEPI-UFRJ, 2020.

ARON, R. (1962). Paz e Guerra entre as Nações. Editora Universidade de Brasília, Brasília, 1979, 708p.

BP 2020. Statistical Review of World Energy 2020. Edição 69, disponível em https://www.bp.com/content/dam/bp/business-sites/en/global/corporate/pdfs/energy-economics/statistical-review/bp-stats-review-2020-full-report.pdf

BRITTES, P.V.P. A Política dos EUA para o Leste Asiático no Governo Obama: o balanceamento da China e a geopolítica regional. Revista OIKOS | Rio de Janeiro | Volume 15, n°2, 2016, disponível em http://www.revistaoikos.org/seer/index.php/oikos

BRZEZINSKI, Z. Strategic Vision. America and the crisis of Global Power. New York: Basic Books, 2012.

BRZEZINSKI, Z. Game Plan. Atlantic Monthly Press, 1986.

CEPIK, M.; SCHNEIDER, L. Kenneth Waltz. In MEDEIROS, M.A; LIMA M.C; VILLA, R.; REIS, R. R. Clássicos das Relações Internacionais. Editora Hucitec, 2010, disponível em http://professor.ufrgs.br/marcocepik/files/cepik__schneider_2010_kenneth_waltz_1.pdf

DIESEN, G. Russia, China and the “balance of dependence” in Greater Eurasia. Valdai Papers, 2017, disponível em https://eng.globalaffairs.ru/articles/russia-china-and-balance-of-dependence-in-greater-eurasia/#_ftnref3

EDER, T.S. China - Russia Relations in Central Asia: Energy Policy, Beijing's New Assertiveness and 21st Century Geopolitics. Springer VS, 2014.

FIORI, J. L. Sobre a Guerra. Editora Vozes, Rio de Janeiro, 2018.

GABUEV, A; SPIVAK, V. The Sino-Russian Entente. Carnegie Moskow Center, 2019, disponível em https://carnegie.ru/specialprojects/sinorussianentente?lang=en, acesso em 18 de outubro de 2019.

GAROUSOVA, L. 2014. “Mejdounarodnaya migratsiya v sovremennoï Rossii: Dalnevostotchnyï kontekst” (International migration in Russia today: the context of the Russia Far East).” Territoriya novikh vozmojnosteï (The land of new opportunities) 27(4): 9-22

HURRELL, A. Hegemonia, liberalismo e Ordem Global: Qual o Espaço para Potências Emergentes? Editora FGV, Rio de Janeiro, 2009, 168p.

KAPLAN, R. The Quiet Rivarly Between China and Russia. The New York Times, 3 de novembro de 2017, disponível em https://www.nytimes.com/2017/11/03/opinion/china-russia-rivalry.html

KISSINGER, H. (2014). A Ordem Mundial. Editora Objetiva, 2015.

KISSINGER, H. Kissinger’s vision on US-Russia Relations (Kissinger’s speech in Moscow). The National Interest, February 04, 2016. Disponível em: http://nationalinterest.org/feature/kissingers-vision-us-russia-relations-15111

LI, Z. (2018) The greater Eurasian partnership and the Belt and Road Initiative: Can the two be linked? Journal of Eurasian Studies, Julho de 2018, disponível em https://journals.sagepub.com/doi/full/10.1016/j.euras.2018.07.004

LO, B. Sino-Russian Relations. Europe China Research and Advice Network, Short term policy brief 87, Maio 2014.

LUKIN, A. China and Russia: The New Rapprochement. Polity Press, Cambridge, UK, 2018.

MACKINDER, H (1904) O pivô geográfico Da história. GEOUSP: Espaço e Tempo, 2011.

MARTINS, J. M. Q.; CEPIK, M. A. Defesa Nacional Antimíssil dos EUA: a lógica da preempção e suas implicações internacionais. In: ARTURI, Carlos S. (org.). Políticas de Defesa, Inteligência e Segurança. Porto Alegre: CEGOV, 2014.

MEARSHEIMER, J. The Tragedy of Great Powers Politics. New York: WW Norton & Company, 2001

MELLO, L. I. A. Quem Tem Medo Da geopolítica? Editora Hucitec, 1999.

OCX, 2011. Astana Declaration on the 10th Anniversary of the SCO, disponível em disponível em http://eng.sectsco.org/documents/, acesso em 28 de novembro de 2019

PADULA, R. (2018a). “A geopolítica estadunidense e a Eurásia”. Em José L. Fiori, Sobre a guerra. Petrópolis, Editora Vozes, 2018.

PADULA, R. (2018b). O debate geoestratégico nos Estados Unidos: o lugar da Eurásia, do Hemisfério Ocidental e do México. Revista da Escola de Guerra Naval, volume 24, n°2, disponível em https://revista.egn.mar.mil.br/index.php/revistadaegn/article/view/709, acesso em 4 de agosto de 2020.

PAUTASSO, D. China e Rússia no Pós-Guerra Fria. Inserção Internacional e Transição Sistêmica. Editora Juruá, Curitiba, 2013.

RIAC, 2020. Russia-China Dialogue: The 2020 Model. Russian International Affair Council, Fudan University. n°58, 2020, disponível em https://russiancouncil.ru/papers/Russia-China-2020-Report58-En.pdf

SPYKMAN, N. (1942) Estados Unidos Frente al Mundo. Fondo de Cultura Economica, Panuco, Mexico, 1944.

TEIXEIRA JÚNIOR, A. W. M. A Reconfiguração do Tabuleiro Internacional e suas Implicações Geoestratégicas para o Brasil. Centro de Estudos estratégicos do Exército Vol 5 (2) Jun/ Dez 2018.

THE ECONOMIST. Russia and China: Partnership is much Better for China than it is for Russia. Edição de 27 de julho de 2019.

TREATY...2001. Tratado de Boa Vizinhança, Amizade e Cooperação (2001), disponível em https://www.voltairenet.org/article173177.html, acesso em 11 de outubro de 2019.

WALTZ, Kenneth N. Theory of International Politics Long Grove, Waveland Press, 1979

WALTZ, K. Structural Realism after the Cold War. International Security, 2000, 25(1), 5-41. Disponível em www.jstor.org/stable/2626772, acesso em 10 de novembro de 2019.

WANG, J.: China’s Search for a Grand Strategy: A Rising Great Power Finds Its Way, 2011.

YAN, X. From Keeping a Low Profile to Striving for Achievements, Chinese Journal of International Politics, Vol. 7, No. 2 (2014), pp. 153–84

Downloads

Publicado

2020-12-07