Canções de guerra e canções da guerra: a poesia em Si menor de Fabrizio De André

Gleiton Lentz

Resumo


O compositor italiano Fabrizio De André (1940-1999) ocupou um lugar de relevo na história da canção italiana da 2ª metade do último século e mesmo da poesia italiana moderna. Seus apreciadores admiram a coragem moral e a coerência artística com que ele, na sociedade italiana do pós-guerra, por meio de suas canções libertárias e pacifistas, retratou o mundo dos marginalizados, dos rebeldes e das prostitutas, além de outros personagens à margem da sociedade, entre os quais, o combatente de guerra, herói de vitórias perdidas em campos de batalha. Três canções suas são emblemáticas: La ballata dell’eroe, La Guerra di Piero e Girotondo. Três poemas que falam de guerra, de morte e da figura do combatente como um marginal da sociedade, que o mata e depois o relega ao esquecimento, em nome da Pátria. Expor sua visão provocativa da sociedade do pós-guerra, mediante a exibição de dois vídeos do compositor, é o propósito desta apresentação.


Palavras-chave


Canção; Pós-guerra; Fabrizio De André

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7917.2010v15n2p249

Direitos autorais 2010 Gleiton Lentz

Rev. Anu. Lit. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Santa Catarina. Brasil. ISSNe 2175-7917

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.