Um mundo dentro do mundo: um estudo de Finisterra, de Carlos de Oliveira.

Autores

  • Isabelita Maria Crosariol PUC-Rio

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2009v14n2p62

Palavras-chave:

Literatura, Referencialidade, Carlos de Oliveira.

Resumo

O artigo tem o propósito de analisar o romance Finisterra, do escritor português Carlos de Oliveira, a partir de critérios formais. Em função disso, em vez de uma leitura interessada em focalizar tão somente o conteúdo da obra, o que se sugere ao longo do texto é uma abordagem que, sem desconsiderar o contexto, evidencie que as obras neo-realistas não são meros pretextos para a exposição de um discurso marxista, mas sim produções resultantes de um trabalho cuidadoso com as palavras.

Biografia do Autor

Isabelita Maria Crosariol, PUC-Rio

Doutoranda em Letras - Estudos da Literatura - pela PUC-Rio, com Mestrado cursado na mesma instituição. Suas pesquisas enfocam sobretudo o papel do intelectual, a representação do Outro nos discursos coloniais, e as representações pós-coloniais nas literaturas de língua portuguesa.

Downloads

Publicado

2009-12-04

Como Citar

CROSARIOL, I. M. Um mundo dentro do mundo: um estudo de Finisterra, de Carlos de Oliveira. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 14, n. 2, p. 62-73, 2009. DOI: 10.5007/2175-7917.2009v14n2p62. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2009v14n2p62. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos