Corpos que se abrem para dar à luz

Autores

  • Vanessa Daniele de Moraes UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2010v15n1p327

Palavras-chave:

Corpo, Sentido, Erotismo

Resumo

Este ensaio propõe pensar questões pertinentes à teoria de Jean-Luc Nancy envolvendo dois contos de Clarice Lispector, dois poemas (um de Manuel Bandeira, outro de Cecília Meireles) e um filme de Alain Resnais. O que se pretende articular em todos os casos são questões como: o sentido, o corpo, a ausência, o toque, a movência do erotismo – buscando nas personagens femininas traços que recusam o corpo como uma verdade absoluta ou como fechamento de sentido, uma vez que as personagens referidas ora se comportam como santas, ora como putas. A partir do texto Noli me tangere, de Jean-Luc Nancy, baseado num episódio bíblico, percebemos que o contato entre Jesus ressuscitado e Maria Madalena não acontece, sendo esta cena o motriz para construirmos uma reflexão acerca do corpus escolhido.

Downloads

Publicado

2010-07-07

Como Citar

DE MORAES, V. D. Corpos que se abrem para dar à luz. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 327-345, 2010. DOI: 10.5007/2175-7917.2010v15n1p327. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2010v15n1p327. Acesso em: 28 jul. 2021.

Edição

Seção

Dossiê