O papel etnográfico de um repórter cronista de guerra: Rubem Braga com a FEB na Itália

Autores

  • José Geraldo Batista Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2010v15n2p269

Palavras-chave:

Rubem Braga, Crônicas de guerra, Neo-Realismo.

Resumo

Este trabalho intenta abrir a discussão que gira em torno da consideração de que Rubem Braga, em Com a FEB na Itália, discute a temática sócio-cultural, funde sua fala pessoal com a da voz narradora de suas crônicas e escreve de forma sugestiva ao apelo imagético. Também aborda a idéia de que Braga, de forma geral, em suas crônicas de guerra, munido, inconscientemente, do olhar neo-realista do cinema italiano, toma partido, na guerra, diante da dor dos outros.

Biografia do Autor

José Geraldo Batista, Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Doutorando em Estudos literários pela UFJF, mestre em Teoria da Literatura pela UFJF, especialista em Estudos Literários pela UFJF

Downloads

Publicado

2010-11-29

Como Citar

BATISTA, J. G. O papel etnográfico de um repórter cronista de guerra: Rubem Braga com a FEB na Itália. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 269-284, 2010. DOI: 10.5007/2175-7917.2010v15n2p269. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2010v15n2p269. Acesso em: 22 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê