(Im)possibilidades de Brasília em poemas de Nicolas Behr

Autores

  • Laíse Ribas Bastos Mestranda - UFSC, Florianópolis

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2010v15n2p7

Palavras-chave:

Poesia, sujeito, Brasília

Resumo

Pensar a poesia de Nicolas Behr pode ser atravessar a cidade em suas mais diversas formas de apresentações. Em seus poemas a cidade de Brasília pode configurar-se como lugar de vida ou esterilidade, falta, retorno ou abandono, em um tempo e um espaço que constituem cidade e sujeito. Uma impermanência. A partir das idéias de Foucault acerca das heterotopias, este trabalho tem como objetivo traçar algumas relações entre cidade e sujeito através da operação poética armada por Nicolas Behr em seu texto, nas imagens criadas ou ausentes em Brasília – articulação entre língua, cidade e sujeito no poema. Palavras-chaves: poesia; sujeito; Brasília

Biografia do Autor

Laíse Ribas Bastos, Mestranda - UFSC, Florianópolis

Mestranda em Literatura Brasileira pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura Brasileira da Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

2010-07-16

Como Citar

BASTOS, L. R. (Im)possibilidades de Brasília em poemas de Nicolas Behr. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 07-18, 2010. DOI: 10.5007/2175-7917.2010v15n2p7. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2010v15n2p7. Acesso em: 22 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos