De Evita a Eva Lopo, do romance de Lídia Jorge ao cinema de Margarida Cardoso: a transposição de uma personagem instransponível

Camila Canali Doval

Resumo


O presente artigo teve seu argumento principal suscitado pela fala da escritora Lídia Jorge em palestra ministrada no dia 28 de setembro de 2012 na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. A autora falou à plateia sobre a adaptação cinematográfica do seu romance A costa dos murmúrios (1988), realizada pela diretora, também portuguesa, Margarida Cardoso (em 2004). Questionada a respeito do olhar feminino sobre a guerra colonial — uma das tantas perspectivas temáticas que pode ser pinçada da obra —, Lídia confrontou as duas obras, argumentando que o livro não defende um olhar inocente das mulheres sobre a guerra, enquanto que na trama cinematográfica há a perspectiva de isenção de culpa. Tendo em vista tal ponto de partida, esta análise se propõe a investigar a forma com que a diretora Margarida Cardoso interpretou e transpôs a atuação das mulheres retratadas na obra original, diante do conflito enfocado no livro, trazendo para o foco a protagonista Eva Lopo, Evita.


Palavras-chave


A costa dos murmúrios; Literatura portuguesa; Cinema português; Lídia Jorge; Transposição.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7917.2013v18n2p69

Direitos autorais 2013 Camila Canali Doval

Rev. Anu. Lit. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Santa Catarina. Brasil. ISSNe 2175-7917

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.