Entre a memória e o silêncio, o testemunho tardio de um deportado homossexual

Autores

  • Marcelo Spitzner Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2014v19n2p52

Palavras-chave:

Memória, Testemunho, História, Deportação, Homossexualidade

Resumo

Este artigo apresenta uma reflexão a respeito da biografia de Rudolf Brazda, escrita por Jean-Luc Schwab. Essa biografia narra a vida e, especialmente a deportação de Rudolf Bradzda para o campo de concentração de Buchenwald, devido a sua homossexualidade. Brazda foi o último triângulo rosa, título dado aos homossexuais deportados para campos de concentração nazista, e um dos poucos que conseguiu deixar seu testemunho registrado, ainda que através da escrita de outro. Dessa forma, busco nas reflexões teóricas sobre história, memória e modernidade, um caminho para apontar que narrativas como a de Brazda são postergadas ou dificilmente entram na memória coletiva e, por isso, narrá-las se configura como lutas contra o esquecimento, o silenciamento e pela reconstituição dos limites da narrativa histórica. Através desse texto, busco propor que a história é feita de rugas e não de linhas, que a temporalidade precisa ser constantemente revista e que a imagem objetiva de experiência coletiva que sustentava a modernidade deve estar abalada e que é preciso fazer outras genealogias da experiência humana.

Biografia do Autor

Marcelo Spitzner, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando e Mestre em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina, possui graduação em Letras pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2007) com habilitação em Português - Francês e suas respectivas literaturas. Atua principalmente nos seguintes temas: Homoerotismo, Cinema e Literatura, Teoria Queer e Teoria Feminista em contexto Latino-americano, Michel Foucault e Judith Butler.

Downloads

Publicado

2014-10-23

Como Citar

SPITZNER, M. Entre a memória e o silêncio, o testemunho tardio de um deportado homossexual. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 19, n. 2, p. 52-60, 2014. DOI: 10.5007/2175-7917.2014v19n2p52. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2014v19n2p52. Acesso em: 23 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos