Uma literatura globalizada: o corpo literário de "Favelost", de Fausto Fawcett

Robson Batista dos Santos Hasmann

Resumo


Ao analisarmos a relação da literatura com a tecnologia, percebemos que, se no nível temático há uma tendência a uma representação negativa dos avanços tecnológicos, no nível estrutural e estético, porém, o certo é que houve vários avanços, haja vista a cyberfiction. No Brasil, país em que tradicionalmente a literatura esteve marcada pela denúncia social, a entrada na pós-modernidade, com seus processos de globalização e de aprimoramento tecnológico, algumas modificações começam a operar nos dois níveis. Para verificar essas transformações, o trabalho discute alguns aspectos do romance Favelost (the book), de Fausto Fawcett. Aproximando-se da ciberficção, a obra destaca-se pelo uso recursos de linguísticos como o neologismo, a ironia, o trocadilho, jogos de palavras etc. A exploração da linguagem, assim, torna-se uma espécie de revitalização da literatura sem a preocupação quase realística que tem sido uma das principais marcas da literatura brasileira contemporânea. Sob as leituras do filósofo Pelbart (2013) do niilismo nietzschiano, a profusão de signos que se inscrevem no corpo da narrativa pode ser uma amostra de um resgate daquilo que é marca mais profunda do humano e da literatura: a representação simbólica.


Palavras-chave


Literatura brasileira contemporânea; Inovação e tradição; Pós-humano; Niilismo

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7917.2015v20n1p246

Direitos autorais 2015 Robson Batista dos Santos Hasmann

Rev. Anu. Lit. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Santa Catarina. Brasil. ISSNe 2175-7917

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.