Tradução coletiva e ilustração: estética da criação cinematográfica em Jane Austen

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2015v20n2p67

Palavras-chave:

Jane Austen, Ilustração, Mikhail Bakhtin, Tradução Coletiva

Resumo

A partir de recortes metonímicos dos romances Razão e sentimento (1811), Orgulho e preconceito (1813), Emma (1815) e Persuasão (1817), escritos pela autora inglesa Jane Austen (1775-1817), propomos fazer uma análise comparativa entre os textos literários, as ilustrações feitas por Hugh Thomson no final de século XIX e as imagens fílmicas criadas entre os anos de 1995 e 2005. Nosso objetivo é confrontar passagens para encontrarmos aproximações e distanciamentos dialógicos entre elas. Tal perspectiva revela as interpretações realizadas por diversos leitores ao longo dos anos e as recepções da escritora inglesa em contextos e meios diversos. Nossa reflexão crítica e teórica tem como base os estudos do filósofo russo Mikhail Bakhtin sobre a estética da criação literária e se amplifica nos conceitos de cinema literário, tradução coletiva e estética da criação cinematográfica.

Biografia do Autor

Lemuel da Cruz Gandara, Universidade de Brasília

Doutorando em Literatura pela Universidade de Brasília - UnB e Mestre em Literatura pela mesma instituição. Licenciado em Língua portuguesa e Bacharel em Estudos literários pela Universidade Federal de Goiás - UFG. Pesquisador dos processos receptivos entre Literatura e outras artes, com ênfase em cinema literário brasileiro e tradução coletiva. Atua como professor tutor a distância na área de Literatura da Licenciatura em Letras Português da Universidade de Brasília - UAB/UnB. 

Augusto Rodrigues Silva Junior, Universidade de Brasília

Professor Adjunto 2 de Literatura Brasileira da Universidade de Brasília. É também poeta. Atualmente, realiza Estágio Pós-Doutoral (Bolsista CAPES) na Universidade do Minho - Centro de Estudos Humanísticos - Modernidades Comparadas: Literaturas, Artes e Culturas; Braga/Portugal. Doutor em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense (2008). Desenvolve trabalhos nas áreas de Literatura Luso-Brasileira; Literatura Comparada; Literatura de Campo e Outras Artes; Estudos da performance; Filosofia. Atua com os conceitos de: tanatografia, tradução coletiva, crítica polifônica, prosificação do mundo, o problema do hífen, cultura popular, performance social e liminaridade. Como poeta, recebeu o Prêmio: Concurso de Poesia Fernando Mendes Vianna A.N.E. (Thesaurus); como ensaísta venceu o Concurso Nacional de Ensaio - Prêmio Cassiano Nunes, Espaço Cassiano Nunes - Biblioteca Central - Universidade de Brasília). É tradutor de Richard Schechner. Consultor "ad hoc" - CAPES.

Downloads

Publicado

2015-08-26

Como Citar

GANDARA, L. da C.; SILVA JUNIOR, A. R. Tradução coletiva e ilustração: estética da criação cinematográfica em Jane Austen. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 20, n. 2, p. 67-83, 2015. DOI: 10.5007/2175-7917.2015v20n2p67. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2015v20n2p67. Acesso em: 2 dez. 2020.

Edição

Seção

Letras & Imagens: signos em rotação