A experiência revisitada: as artimanhas naturais da narrativa rosiana

Autores

  • André Rocha Leite Haudenschild Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2016v21n1p81

Resumo

O artigo pretende elaborar considerações sobre a narrativa do poeta e romancista Guimarães Rosa à luz das teorias de Walter Benjamin sobre o narrador e as transformações da experiência, mediadas pelas análises críticas de José Guilherme Merquior e Davi Arrigucci Júnior. Assim almeja-se compreender como que a prosa poética de Guimarães Rosa transita com autoridade da Erfahrung à Erlebnis benjaminiana, subindo e descendo os degraus da experiência entre os universos culturais do “sertão” e da “metrópole” ao deslocar-se entre a oralidade sertaneja e o romance de formação. Trata-se de entender essa tensão civilizatória como uma chave interpretativa que nos permite adquirirmos consciência de uma parte central de nossa experiência e das crises de nossa sociedade (WILLIAMS, 1989): uma antinomia crucial que está atrelada ao próprio modo de produção capitalista que vem transformando a vida social brasileira desde as primeiras décadas do século XX. Para tanto, foram elencadas algumas das principais obras da produção literária rosiana, como Grande sertão: veredas e alguns contos pertinentes para exemplificarem as argumentações propostas neste trabalho.

Biografia do Autor

André Rocha Leite Haudenschild, Universidade Federal de Uberlândia

Pesquisador com doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina, realizando estágio de pós-doutoramento junto ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Uberlândia, com apoio do CNPq. Atua em projetos de pesquisa voltados ao universo da Cultura Popular, da História Social e da Música Popular Brasileira do século XX, sendo autor de Alegria selvagem: a lírica da natureza em Tom Jobim (Olho D'Água, 2010) e coorganizador de Orfeu do Vinicius & Cia. (EdUFSC, 2015).

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

HAUDENSCHILD, André Rocha Leite. A experiência revisitada: as artimanhas naturais da narrativa rosiana. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 81–91, 2016. DOI: 10.5007/2175-7917.2016v21n1p81. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2016v21n1p81. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos