Giorgio Agamben e Dante Aliguieri - reflexões teóricas possíveis

Autores

  • Silvana de Gaspari Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2017v22n2p62

Palavras-chave:

Giorgio Agamben, Dante Alighieri, Divina Comédia, Contemporaneidade

Resumo

Estudar a poesia de Dante Alighieri é mais do que estudar somente o medievo e suas representações literárias. É também vislumbrar perspectivas de sobrevivência, que nos trazem até hoje por caminhos nem sempre muito tranquilos, sendo guiados através de rizomas que se organizam e desorganizam em torno de tal autor. Dessa forma, pensando nesse rizoma, na evolução do livro e do mundo, o objetivo deste texto é buscar visualizar Dante como um suscitador de ideias. E Giorgio Agamben aqui é escolhido como interlocutor para a obra do florentino, já que é um filósofo que deixa claro, em muitos de seus textos, que suas reflexões perpassam pela obra do poeta medieval e lhe dão a verdadeira luz da contemporaneidade que ela parece merecer. A partir dessa escolha, serão analisados conceitos como: paródia, comédia e tragédia, contemporaneidade, limbo, profecia e criação, poder e glória, crítica, cânone, sagrado e profano. Partir das reflexões de Giorgio Agamben para pensar Dante nos parece importante não somente pelo fato da abrangência do pensamento deste autor em nosso tempo, mas também pelo fato de ser ele alguém que reflete com o poeta e a partir dele, para construir diversos de seus textos, que se complementam e se renovam, segundo o próprio filósofo, com o tempo.

Biografia do Autor

Silvana de Gaspari, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em Letras Português/Italiano pela UNESP-Araraquara, com mestrado em Literatura Italiana pela Universidade de São Paulo e doutorado em Teoria Literária pela Universidade Federal de Santa Catarina. Sua dissertação de mestrado tem como tema central o verismo italiano, com enfoque nos autores Giovanni Verga e Luigi Capuana, e sua tese de doutorado versa sobre a Divina Comédia e sua relação com dois textos apócrifos: Enoque e Isaías. Desde 1992, é professora do curso de letras italiano da Universidade Federal de Santa Catarina, no Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras. Tem hoje como foco principal de pesquisa dois projetos: o primeiro, sobre poesia italiana, parte de Dante Alighieri e chega aos poetas contemporâneos, identificando a percepção que estes autores têm do poeta florentino, e, o segundo, investiga o paratexto e está vinculado ao grupo de pesquisa do "Dicionário de Literatura Italiana Traduzida", desenvolvido em parceria entre a UFSC e a USP. Tem diversos livros publicados, entre eles as traduções de O mistério do mal Pilatos e Jesus, de Giorgio Agamben, em parceria com a professora Patricia Peterle.

Downloads

Publicado

2017-12-14

Como Citar

DE GASPARI, S. Giorgio Agamben e Dante Aliguieri - reflexões teóricas possíveis. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 62-73, 2017. DOI: 10.5007/2175-7917.2017v22n2p62. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2017v22n2p62. Acesso em: 28 jul. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: "A literatura italiana sob a ótica de Giorgio Agamben"