Leitura caleidoscópica da natureza: o encontro de Barros e Mancuso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2018v23n2p34

Palavras-chave:

Álvaro Lins, Crítica Literária, Crítica Impressionista

Resumo

Álvaro Lins foi um dos maiores nomes da crítica literária brasileira entre os decênios de 40 e 60. Atuando no jornal carioca Correio da Manhã, entre os anos de 1941 e 1963, Lins publicou semanalmente textos críticos cuja função principal era analisar as obras de escritores estreantes e, ademais, levantar discussões pertinentes sobre temas literários. Além de tecer comentários críticos acerca das obras literárias, Álvaro Lins também publicou uma série de artigos nos quais procurava investigar o papel da própria crítica literária.  Mais do que simples crítica impressionista, como viria a ser reconhecido, posteriormente, o seu trabalho, Lins entendia a crítica como uma atividade intelectual interligada a um espírito livre que se dispõe a comentar, a analisar e, sobretudo, a julgar as obras literárias. Procurando analisar os seus textos meta-críticos, o presente artigo tem por objetivo investigar a importância da crítica literária para Álvaro Lins e, principalmente, demonstrar como ele concebia o trabalho crítico em si.  Em tempos tíbios, marcados por uma crítica que se despe, muitas vezes, de qualquer ato criativo e sensibilidade interpretativa, regressar ao pensamento de Lins torna-se uma espécie de manual de sobrevivência para críticos vindouros e, até mesmo, um meio de se compreender o desencantamento que envolve a crítica literária atual.

Biografia do Autor

Nincia Borges Teixeira, Universidade Estadual do Centro-Oeste

Pós-doutora pela UFRJ. Doutora em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005), Mestre em Letras pela Universidade Estadual de Londrina . É Professora Associada da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO-PR). Professora nos cursos de Letras e Comunicação Social.Coordenadora do Programa Mestrado em Letras da UNICENTRO. Coordenadora do Laboratório de Estudos Culturais, Identidades e Representações (LABECIR/UNICENTRO) .Membro do Projeto Cooperação bi-nacional Argentina-Brasil: fomento à interação entre Ciências Sociais Aplicadas e Inovação Tecnológica. Autora do livro: A Escrita de Mulheres na Pós-modernidade e a Desconstrução do Cânone Literário.

Downloads

Publicado

2018-11-09

Como Citar

Teixeira, N. B. (2018). Leitura caleidoscópica da natureza: o encontro de Barros e Mancuso. Anuário De Literatura, 23(2), 34-45. https://doi.org/10.5007/2175-7917.2018v23n2p34

Edição

Seção

Pesquisadores docentes