“...Tão somente amigas”?: pensando o queer em "Todos nós adorávamos caubóis", de Carol Bensimon

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2020v25n1p101

Resumo

O presente artigo propõe uma investigação teórica das interações entre teoria queer e as discussões sobre identidades ao analisar o romance brasileiro Todos nós adorávamos caubóis de Carol Bensimon, publicado em 2013. Partindo de uma discussão sobre a heteronormatividade (MISKOLCI, 2016), elabora-se um comentário sobre a teoria queer e sua política pós-identitária buscando destacar não só a metáfora da viagem dentro da narrativa selecionada, mas também a fragmentação e o deslocamento das identidades das protagonistas, Cora e Júlia, durante a sua road trip pelo interior do Rio Grande do Sul. Traçando pontes e limites entre a teoria queer e os estudos gays e lésbicos, discute-se como uma leitura do romance de Bensimon é sintomática das proposições da própria indefinibilidade teórica da teoria queer como forma de investigação do cenário literário contemporâneo. Privilegiam-se, entre outros, as contribuições teóricas de Carla Rodrigues (2009), Linda Hutcheon (2003), Steve Seidman (2004), Diane Richardson (2006) e Guacira Lopes Louro (2016) para a discussão proposta.

Biografia do Autor

Ruan Nunes Silva, Universidade Estadual do Piauí

Professor Assistente de Língua Inglesa e Literaturas de Língua Inglesa da Universidade Estadual do Piauí. Doutorando em Estudos de Literatura na Universidade Federal Fluminense (UFF). Mestre em Literaturas de Língua Inglesa pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Referências

ALMEIDA, Maria Fernanda Vasconcelos de. A desconstrução do feminino no discurso lésbico. In: LOPES, Denilson et al. (Org.). Imagem & Diversidade Sexual: estudos da homocultura. São Paulo: Nojosa Edições, 2004. p. 162-166.

BENSIMON, Carol. Todos nós adorávamos caubóis. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

BENSIMON, Carol. O clube dos jardineiros de fumaça. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

BOURDIEU, Pierre. Practical Reason: On the Theory of Action. Stanford: Stanford University Press, 1998.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura Brasileira Contemporânea: um território contestado. Rio de Janeiro/Vinhedo: Editora da UERJ/Horizonte, 2012.

FACCO, Lucia. As Heroínas Saem do Armário: Literatura lésbica contemporânea. São Paulo: Edições GLS, 2004.

GARBER, Linda. On the evolution of queer studies: Lesbian feminism, queer theory and globalization. In: RICHARDSON, Diane; MCLAUGHLIN; CASEY, Mark. (Eds.) Intersections between Feminist and Queer Theory. New York: Palgrave Macmillan, 2006, p. 78-96.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2006.

HUTCHEON, Linda. A Poetics of Postmodernism: History, theory and fiction. New York: Routledge, 2003.

LOPES, Denilson. O Homem que Amava Rapazes e outros Ensaios. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

LOURO, Guacira Lopes. Um Corpo Estranho: Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

MISKOLCI, Richard. Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

RICH, Adrienne. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas – Estudos gays: gênero e sexualidades, v. 4, n. 5, p. 18-44, 2010. Disponível em https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/2309. Acesso em: 10/10/2019.

RICHARDSON, Diane. Bordering theory. In: RICHARDSON, Diane; MCLAUGHLIN; CASEY, Mark. (Eds.) Intersections between Feminist and Queer Theory. New York: Palgrave Macmillan, 2006, p. 19-37.

RODRIGUES, Carla. Coreografias do Feminino. Florianópolis: Editora Mulheres, 2009.

SEIDMAN, Steven. Identity and politics in a “postmodern” gay culture: some historical and conceptual notes. In: WARNER, Michael (Ed.). Fear of a Queer Planet: Queer politics and social theory. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2004. p. 105-142.

SPIVAK, Gayatri Chkravorty. The Post-colonial Critic: Interviews, Strategies, Dialogues. New York: Toutledge, 1990.

Downloads

Publicado

2020-06-15

Como Citar

SILVA, Ruan Nunes. “...Tão somente amigas”?: pensando o queer em "Todos nós adorávamos caubóis", de Carol Bensimon. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 101–114, 2020. DOI: 10.5007/2175-7917.2020v25n1p101. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2020v25n1p101. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Ficções queer brasileiras"