A importância da natureza para a construção de uma identidade feminina na poesia “Que transpõe o halo”, de Marcele Aires: uma análise sob o ponto de vista do Ecofeminismo

Marciano Lopes Silva

Resumo


As representações da natureza variam conforme os discursos e as formas artísticas. Ao longo da história literária, elas têm sido predominantemente orientadas por interesses diversos, tais como científicos, comerciais, políticos, assim como expressivos. De um polo a outro, sua representação tem servido à divulgação de suas riquezas (como aconteceu na literatura de viagem do período colonial), à consolidação de uma identidade nacional e/ou regional (o que ocorre nas literaturas do romantismo e do modernismo, assim como do regionalismo), à afirmação das teses sobre o determinismo biológico no comportamento humano (o que ocorre na literatura do realismo/naturalismo), ou à expressão da subjetividade, seja de personagens ou de sujeitos líricos (o que ocorre especialmente na literatura romântico-simbolista), orientando-se, em cada caso, por diferentes visões de mundo. Recentemente, acompanhando o surgimento de uma consciência ecológica que se contrapõe às ideologias que a consideram apenas como recurso natural a ser explorado, a natureza tem sido valorizada per si, o que não exclui sua relação com a subjetividade que a representa e para a qual ela é importante. Para discutir essa questão segundo o ponto de vista crítico do ecofeminismo, analisamos os poemas do seu livro Que transpõe o halo com o intuito de demonstrar a importância da natureza na construção de uma identidade feminina na obra em questão.


Palavras-chave


Ecocrítica; Ecofeminismo; Literatura paranaense; Natureza e subjetividade; Poesia paranaense

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7917.2013v18n2p156

Direitos autorais 2013 Marciano Lopes Silva

Rev. Anu. Lit. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Santa Catarina. Brasil. ISSNe 2175-7917

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.