Poética da criação verbal: a crítica polifônica nos estudos da linguagem literária

Augusto Rodrigues da Silva Junior, Ana Clara Magalhães de Medeiros

Resumo


Este trabalho assenta-se em conceitos fundamentais explorados pelo teórico da linguagem e crítico literário Mikhail Bakhtin, tais como dialogismo, polifonia, alteridade, carnavalização e liberdade. Dialogando amplamente com Bakhtin, além de seus intérpretes e pensadores, pretende-se estabelecer as bases teóricas para uma crítica polifônica da linguagem literária que teorize e problematize as incursões valiosas do autor russo para o pensamento do discurso romanesco e suas reverberações na Teoria Literária hoje. Congregando linguagem, literatura, antropologia e filosofia, os estudos bakhtinianos entenderam que a última palavra (felizmente) ainda não foi dita. Aqui, preconiza-se que a palavra romanesca tem suas origens no cinismo e nos gêneros dialogais da Antiguidade Greco-romana, estendendo-se para o gênero da prosificação do mundo e permanecendo inacabada no grande tempo da cultura. Esse sistema polifônico de crítica procura ler, na própria poética literária, caminhos para a construção do exercício crítico literário autônomo e respondível, conforme estilizado e realizado na literatura, bem como na práxis da vida humana.


Palavras-chave


Dialogismo; Polifonia; Romance; Crítica Polifônica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7917.2015v20n1p228

Direitos autorais 2015 Augusto Rodrigues da Silva Junior, Ana Clara Magalhães de Medeiros

Rev. Anu. Lit. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Santa Catarina. Brasil. ISSNe 2175-7917

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.