Wenceslau de Moraes, intérprete da cultura japonesa

Claudio Alexandre Barros Teixeira

Resumo


No presente artigo, comentaremos a recepção crítica e criativa da poesia japonesa na obra do escritor, diplomata e militar português Wenceslau de Moraes, que foi o primeiro tradutor do haicai japonês para a língua portuguesa. O autor adotou a forma da quadra poética em redondilhas para a transcriação dos tercetos japoneses e valorizou os trocadilhos, paronomásias, expressões populares e outros elementos de função poética presentes no haicai tradicional, além de comentar aspectos da arte poética, filosofia, religião, estética e da língua japonesa, a partir dos princípios filosóficos do xintoísmo e do budismo zen. Suas obras completas, que reúnem ensaios, cartas, diários e relatos de viagens, incluem 14 volumes dedicados ao Japão e à cultura japonesa, entre os quais se destaca Relance da alma japonesa, publicado em 1925, no qual aborda desde a poesia tradicional de corte, reunida nas antologias palacianas, publicadas a partir do século VIII d.C., até o haicai clássico e as canções e provérbios populares. 


Palavras-chave


Haicai; Tanka; Ideograma

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7917.2015v20n2p153

Direitos autorais 2015 Claudio Alexandre Barros Teixeira

Rev. Anu. Lit. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. Santa Catarina. Brasil. ISSNe 2175-7917

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.