A desconstrução da metafísica em Vozes Plurais, de Adriana Cavarero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2021.e72079

Palavras-chave:

Vozes Plurais, Unicidade vocálica, Adriana Cavarero, Jacques Derrida

Resumo

Neste artigo, proponho descrever e comentar as configurações da ontologia vocálica da unicidade defendida por Adriana Cavarero na obra Vozes Plurais: Filosofia da expressão vocal publicada no Brasil em 2011. O interesse que Adriana Cavarero reserva à voz parte de sua crítica ao esforço metafísico em desvocalizar o logos, privilegiando a voz insonora da consciência frente à voz produzida por uma garganta de carne. Assim, a filósofa italiana defende a necessidade de recuperarmos um pensamento baseado na singularidade da voz, que acarreta a atenção a uma voz sonora e corpórea que seria, acima de tudo, essencialmente relacional. Em seguida, buscarei apresentar os elementos antagônicos entre a desconstrução de Cavarero e a proposta pelo filósofo Jacques Derrida, em especial às noções de singularidade e assinatura, caras às suas filosofias. Como veremos, a questão parece devidamente se localizar naquilo que ela e Derrida, em distinção, apontam como o elemento detentor de validade antimetafísica.

Biografia do Autor

Iamni Reche Bezerra, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Letras, Bacharelado em Estudos da Tradução, pela Universidade Federal do Paraná (2014) e mestrado em Letras pela mesma instituição (2017), com ênfase em Estudos Literários. Atualmente é doutoranda do Programa de Teoria e História Literária da UNICAMP (bolsista CNPq) com pesquisa sobre a obra de Jacques Derrida, tradução literária e alteridade. Com o poeta Alexandre França, edita a Mathilda Revista Literária.

Referências

BARTHES, Roland. O grão da voz. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1995.

CAVARERO, Adriana. Vozes Plurais: Filosofia da expressão vocálica. Trad. de Flavio Terrigno Barbeitas. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

CAVARERO, Adriana. Corpo in figure: filosofia e politica della corporeità. Milano: Feltrinelli, 1995.

CAVARERO, Adriana. Tu che mi guardi, tu che mi racconti. Filosofia della narrazione. Milano: Feltrinelli, 1997.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Trad. de Miriam Chnaiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2013.

DERRIDA, Jacques. A Escritura e a Diferença. Trad. de Maria Beatriz da Silva. São Paulo: Perspectiva, 2009.

DERRIDA, Jacques. Margens da filosofia. Campinas, São Paulo: Papirus, 1991.

DERRIDA, Jacques. Torres de Babel. Trad. de Junia Barreto. Belo Horizonte:

UFMG, 2002

DERRIDA, Jacques; MIREILLE, Calle-Gruber. Scènes des différences. Où la philosophie et la poétique, indissociables, font événement d'écriture. Littérature. n, 142, p. 16-29, 2006. Disponível em: http://www.cairn.info/revue-litterature-2006-2-page-16.htm. Acesso em: 10 fev. 2020.

GUARALDO, Olivia. Pensadoras de peso: o pensamento de Judith Butler e Adriana Cavarero. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 15, n. 3, 2007.

LEVINAS, Emmanuel. Humanismo do Outro Homem. Trad. de Pergentino Stefano Pivatto. Petrópolis: Vozes, 1993.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Martins Fontes, 1981.

NASCIMENTO, Evando. Derrida e a literatura: “notas” de filosofia e literatura nos textos da desconstrução. São Paulo: É Realizações, 2015.

NETO, Moysés Pinto. O conceito de escritura em Derrida e a gramatologia da sua época. Veritas, Porto Alegre, v. 62, n. 2, p. 308-329, maio-ago. 2017.

ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. São Paulo: Hucitec, 1997.

Downloads

Publicado

2021-02-25

Como Citar

BEZERRA, I. R. A desconstrução da metafísica em Vozes Plurais, de Adriana Cavarero. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 26, p. 01-16, 2021. DOI: 10.5007/2175-7917.2021.e72079. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/72079. Acesso em: 24 jul. 2021.

Edição

Seção

Dossiê "Poéticas da Voz"