Oralitura e a figura mitológica de Iyá Mi Oxorongá em “Caroço de dendê”, de Mãe Beata de Yemonjá

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2021.e72747

Palavras-chave:

Oralitura, Literatura afroeminina, Mitologia afro-brasileira

Resumo

Caroço de Dendê: a sabedoria dos terreiros: como Ialorixás e Babalorixás passam conhecimento a seus filhos (2008), cuja primeira edição data de 1997, de Mãe Beata de Yemonjá (1931-2017), é composto por 43 contos que mesclam ítãs (lendas dos Orixás) e outras estórias de terreiro, destes escolhemos três “O cachimbo de Tia Cilu”; “Iyá Mi, a mãe Ancestral” e “Conto dedicado a minha mãe, Do Carmo” que resgatam a ancestralidade das Mães feiticeiras, as Iyá Mi Oxorongás, figuras mítico-religiosas da cultura afro-brasileira. O arcabouço teórico é composto pelo conceito de Leda Martins (1997; 2003; 2007) “oralitura” bem como os estudos de Heloisa Toller Gomes (2004; 2007), Conceição Evaristo (2011) e Ana Rita Santiago (2012) ao que tange o conceito de literatura afrofeminina, uma literatura atravessada pela condição de mulher e negra e tudo a que isso implica. As iyá-mis Oxorongás são a representação e manutenção da cultura matriarcal africana e afrodiaspórica, ancestrais ímpares nas religiões de matriz africana.

Biografia do Autor

Dênis Moura de Quadros, Universidade Federal do Rio Grande

Doutorando em Letras- área de concentração História da Literatura- pela Universidade Federal do Rio Grande- FURG, além de ser mestre em Letras, área de concentração História da Literatura, pela mesma Universidade, onde pesquisa sobre Literatura Brasileira; Luto sob as diversas perspectivas psicológicas e psiquiatras; o negro na Literatura Brasileira; a Literatura produzida por mulheres e Literatura Afrofeminina. Bolsista CAPES/DS.

Referências

ALVES, Juliana Franco. Tempos de griotizar a letra: Em busca de uma poética da voz afrobrasileira em Caroço de dendê, de Mãe Beata de Yemonjá. 2012. 143f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

BEATA DE YEMONJÁ, Mãe. Caroço de dendê: a sabedoria dos terreiros: como Ialorixás e Babalorixás passam conhecimentos a seus filhos. 2. ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2008.

CUTI, Luiz Silva. Quem tem medo da palavra negro. Disponível em: http://www.sedes.org.br/Departamentos/Psicanalise/pdf/quemtemmedodapalavranegro_cuti.pdf. Acesso em: 20 abr. 2017.

EVARISTO, Conceição. Mãe Beata de Yemonjá. In: DUARTE, Eduardo de Assis. Literatura e afrodescendência no Brasil: antologia crítica. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2011.

GOMES, Heloisa Toller. Visíveis e invisíveis grades: vozes de mulheres na escrita afro-descendente contemporânea. Caderno Espaço Feminino, Uberlândia, v. 12, n. 15, p. 13-26, 2004.

GOMES, Heloisa Toller. Heranças díspares na formação de um espaço discursivo: a literatura afro-brasileira. In: SECCO, Carmen; SALGADO, Maria Teresa; JORGE, Silvio (Orgs.) Anais do III Encontro de professores de literaturas africanas, 2007, Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: L. Christiano Editorial, 2007, p. 1-13.

MARTINS, Leda. Afrografias da memória. São Paulo: Perspectiva; Belo Horizonte: Mazza Edições, 1997.

MARTINS, Leda. Performances da oralitura: corpo, lugar de memória. Letras, Santa Maria, n. 26, p. 63-81, 2003.

MARTINS, Leda. A fina lâmina da palavra. O eixo e a roda, Belo Horizonte, v. 15, p. 55-84, 2007.

PADILHA, Laura Cavalcante. Entre voz e letra: o lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. Niterói: Ed. UFF, 1997.

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro?. São Paulo: Companhia das letras, 2018.

RODRIGUES, Felipe Fanuel Xavier. De Stamps ao Recôncavo: encruzilhada de narrativas afrodescendentes traduzidas em literatura contemporânea. 2016. 268f. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

SANTIAGO, Ana Rita. Vozes literárias de escritoras negras. Cruz das Almas: Ed. UFRB, 2012.

SANTOS, Juana Elbein dos. Os nàgô e a morte: Pàde, Asèsè e o culto Égun na Bahia. Petrópolis: Vozes, 1986.

SILVA, Glória Cecília de Souza. Os “fios de contos” de mãe Beata de Yemonjá: mitologia afro-brasileira e educação. 2008. 139f. Dissertação (Mestrado em educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

Downloads

Publicado

2021-02-25

Como Citar

QUADROS, D. M. de. Oralitura e a figura mitológica de Iyá Mi Oxorongá em “Caroço de dendê”, de Mãe Beata de Yemonjá. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 26, p. 01-12, 2021. DOI: 10.5007/2175-7917.2021.e72747. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/72747. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê "Poéticas da Voz"