Entre o dilaceramento e a alegria: considerações sobre a velhice na literatura brasileira de autoria feminina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2021.e78548

Palavras-chave:

Velhice, Solidão, Feminismo, Literatura brasileira

Resumo

Este artigo apresenta um breve estudo sobre a velhice feminina representada na literatura brasileira escrita por mulheres. Parte de um preâmbulo que procura informar sobre a ausência do tratamento dessas personagens em nossa literatura para depois analisar narrativas curtas (contos e minicontos) das seguintes escritoras: Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Cíntia Moscovich e Alê Motta. A análise é ancorada no pensamento de Simone de Beauvoir, Natalia Ginzburg, Eurídice Figueiredo, Carmen Lucia Tindó Secco e outras pesquisadoras, que apresentam importantes reflexões sobre a velhice, com destaque para a questão da solidão, que se mostrou recorrente nas narrativas selecionadas para o corpus, mas tratada de forma distinta em cada uma delas. A intenção não é traçar um panorama de tais representações, o que demandaria um estudo de mais fôlego, mas apontar algumas recorrências e particularidades quanto à temática, sobretudo no que toca à autoria feminina. Saliente-se que o tema da velhice faz-se pertinente para a análise pois é pouco estudado na literatura brasileira em geral, o que aponta para a relevância desta investigação.

Biografia do Autor

Maria do Rosário Alves Pereira, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Graduada em Letras, mestre em Letras – Estudos Literários e doutora em Estudos Literários – área de concentração Literatura Brasileira, pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora dos cursos técnicos e de graduação em Letras no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais e professora na Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Viçosa. Desenvolve pesquisas nas áreas de Literatura de autoria feminina, Literatura Brasileira e Edição.

Claudia Cristina Maia, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Graduada em Letras pela Universidade Federal de São João del-Rei, mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Minas Gerais e Doutora em Literatura Comparada também pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais. Desenvolve pesquisas nas áreas de Literatura Comparada e Literatura Brasileira.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. A velhice. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2018.

COLTRO, Pedro. O Brasil ultrapassou os Estados Unidos e se tornou o país que mais realiza cirurgias plásticas no mundo. SBPC Blog, 13 fev. 2020. Disponível em: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/blog/2020/02/13/lider-mundial/. Acesso em: 26 nov. 2020.

DALCASTAGNÈ, Regina. A personagem do romance brasileiro contemporâneo: 1990-2004. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 26, p. 13-71, jul.-dez. 2005.

FIGUEIREDO, Eurídice. Por uma crítica feminista: leituras transversais de escritoras brasileiras. Porto Alegre: Zouk, 2020.

GINZBURG, Natalia. La vecchiaia. In: GINZBURG, Natalia. Mai devi domandarmi. Torino: Einaudi, 2002. E-book.

GOELLNER, Silvana Vilodre. A cultura fitness e a estética do comedimento: as mulheres, seus corpos e aparências. In: STEVENS, Cristina Maria Teixeira; SWAIN, Tânia Navarro (Org.). A construção dos corpos: perspectivas feministas. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2008, p. 245-260.

LISPECTOR, Clarice. Felicidade clandestina: contos. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

LISPECTOR, Clarice. Laços de família: contos. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

MOSCOVICH, Cíntia. O reino das cebolas. In: MOSCOVICH, Cíntia. O reino das cebolas. Porto Alegre: L&PM, 2002. E-book.

MOTTA, Alê. Velhos. São Paulo: Reformatório, 2020.

PEREIRA, Luci Ruas. “Nas rugas do tempo”: presença do velho na literatura infantil brasileira. COLE, 13. Campinas. Anais eletrônicos... Campinas: UNICAMP, 2001. Disponível em: http://alb.org.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais13/arquivos/seminarios/pereira_luci.htm#_ftnref1. Acesso em: 20 nov. 2020.

PEREIRA, Maria do Rosário Alves. Corpo feminino e envelhecimento na obra de Lygia Fagundes Telles. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 56, p. 1-9, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2316-40182019000100308. Acesso em: 17 ago. 2020.

SCHOLLHAMMER, Erik Karl. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

TELLES, Lygia Fagundes. Boa noite, Maria. In: TELLES, Lygia Fagundes. A noite escura e mais eu. São Paulo: Rocco, 1998a, p. 55-78.

TELLES, Lygia Fagundes. Entrevista. Cadernos de Literatura Brasileira, São Paulo, Instituto Moreira Salles, n. 5, mar. 1998b.

SECCO, Carmen Lucia Tindó. Além da idade da razão: longevidade e saber na ficção brasileira. Rio de Janeiro: Graphia, 1994.

XAVIER, Elódia. Narrativa de autoria feminina na literatura brasileira: as marcas da trajetória. Leitura – Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras, número especial de Literatura, Universidade Federal de Alagoas, n. 9, p. 87-95, 2. sem. 1996.

WOLF, Naomi. O mito da beleza: como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2018.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Como Citar

PEREIRA, M. do R. A.; MAIA, C. C. Entre o dilaceramento e a alegria: considerações sobre a velhice na literatura brasileira de autoria feminina. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 26, p. 01-16, 2021. DOI: 10.5007/2175-7917.2021.e78548. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/78548. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Representações da velhice na literatura e outras artes