Escrita como contraponto aos silenciamentos: notas sobre As netas da Ema

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2022.e88348

Palavras-chave:

Literatura brasileira contemporânea, As netas de Ema, Personagens femininas, Ditadura, Silenciamentos

Resumo

O presente artigo analisa as representações do feminino através das personagens presentes no romance As netas da Ema, publicado por Eugenia Zerbini em 2003, bem como o combate a diferentes formas de silenciamentos. A produção literária em análise contribui com a democratização da literatura ao abordar as experiências das mulheres ao longo das gerações, com ênfase em questões pertinentes para a categoria das mulheres, tais como a violência e o corpo, problematizando temas como a gestação, a maternidade, a menopausa, o estupro e o envelhecimento, e inserindo as mulheres no discurso histórico ao tematizar o período da ditadura militar brasileira e as sequelas que as agruras daquele período deixaram. Assim, podemos compreender As netas da ema como uma tentativa de combate a diferentes silenciamentos: o silenciamento que permeia o período da ditadura, e também o silenciamento das mulheres, que por décadas não foram ouvidas, tanto no campo social quanto no campo literário.

Biografia do Autor

Janaína Buchweitz e Silva, Universidade Federal de Pelotas

Graduada em Letras-Habilitação em Língua Espanhola e Literaturas de Língua Espanhola (UFPel, 2002). Especialista em Língua Espanhola (UCPel, 2004), Especialista em Educação (UFPel, 2009), e Especialista em Educação para a Diversidade (UFRGS, 2014). Mestra em Letras (UFPel, 2017). Graduada em Letras-Habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa (ULBRA, 2019). Doutoranda em Letras (UFPel), linha de pesquisa Literatura, cultura e tradução, com pesquisas na área de autoria feminina e ditadura militar brasileira.

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Sejamos todos feministas. Trad. de Christina Baum. 1. ed. 20ª reimp. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. 1. ed. 4ª reimp. Vinhedo: Editora Horizonte, 2017.

FIGUEIREDO, Eurídice. A literatura como arquivo da ditadura brasileira. 1. ed. 1ª reimp. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2017.

FIGUEIREDO, Eurídice. Por uma crítica feminista: leituras transversais de escritoras brasileiras. Porto Alegre: Zouk, 2020.

FIGUEIREDO, Eurídice. Violência e sexualidade em romances de autoria feminina. Revista Interdisciplinar, São Cristovão, UFF, v. 32, p. 137-149, jul.-dez. 2019. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/interdisciplinar/article/view/12872 Acesso em: 09 nov. 2020.

FLAUBERT, Gustave. Madame Bovary: costumes de província. Trad. de Mario Laranjeira. 1ª reimp. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2013.

WOOLF, Virginia. Profissões para mulheres e outros artigos feministas. Porto Alegre: L&PM, 2019.

WOOLF, Virginia. Um teto todo seu. Trad. de Bia Nunes de Sousa. 1. ed. 6ª reimp. São Paulo: Tordesilhas, 2014.

ZERBINI, Eugenia. As netas da Ema. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

Downloads

Publicado

2022-11-10

Como Citar

BUCHWEITZ E SILVA, Janaína. Escrita como contraponto aos silenciamentos: notas sobre As netas da Ema. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 27, p. 01–12, 2022. DOI: 10.5007/2175-7917.2022.e88348. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/88348. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos