O conceito de literatura: entre suportes e alquimias sociais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2023.e92490

Palavras-chave:

Literatura, Suporte textual, Literaturas subterrâneas , Livro

Resumo

O objetivo deste artigo é problematizar o conceito de literatura a partir da percepção da invisibilização do suporte livro como processo alquímico de desmaterialização do objeto em que circula o “literário”, como se este fosse um “espírito sem corpo” (CHARTIER, 2010). Foi feito um percurso cartográfico de posicionamentos teórico-metodológico-políticos, percorrido na pesquisa de doutorado da qual o texto surgiu, processo que resultou em inquietações ampliadas pela possibilidade de estágio de doutorado sanduíche que aconteceu no período de janeiro a dezembro de 2015, na Université Sorbonne - Paris 13/ Nord. Discute-se, partindo deste breve panorama, o conceito de literatura como campo (BOURDIEU, 1992; BOURDIEU, 1996; LAHIRE, 2001) para, em seguida, chegarmos à perspectiva de literatura a partir de suas materialidades, como o livro, suporte textual legitimado socialmente. Entretanto, para além deste suporte, encontramos, em nossas perambulações, circuitos e materialidades que fazem escorrer, pela cidade de Fortaleza, literaturas subterrâneas desafiando a alquimia social legitimadora. Percebê-las é ampliar nossa percepção sobre as práticas sociais artístico-literárias.

Biografia do Autor

Sahmaroni Rodrigues de Olinda, Universidade Estadual do Ceará

Doutor em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC)/Université Paris 13 Sorbonne/Nord. Professor Adjunto da Faculdade de Educação (UFC), pesquisador integrante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Didática e Formação Docente (GEPED-UFC). Autor dos livros Cantos (2014), O amante (2016) e Um cemitério de almas puras (2018).

Referências

ABREU, Márcia. Diferença e desigualdade: preconceitos em leitura. In: MARINHO, Marildes (org.). Ler e navegar: espaços e percursos da leitura. Belo Horizonte, MG: Ceale, 2001, p. 139-157.

ABREU, Márcia. História dos textos, história dos livros e história das práticas culturais – ou, uma outra revolução da leitura. In: CHARTIER, Roger. Formas e sentido. cultura escrita: entre distinção e apropriação. São Paulo: Mercado de Letras; Associação de Leitura no brasil, 2003, p. 7-16.

ABREU, Márcia. Cultura letrada: literatura e leitura. São Paulo: Editora UNESP, 2006.

ALVES, Castro. O livro e a América. s/d. Disponível em: http://www.blocosonline.com.br/literatura/poesia/pndp/pndp010701.htm. Acesso em: 03 fev. 2016.

AMORIM, Marcel Álvaro de.; et al. (org.). Literatura na escola. São Paulo: Contexto, 2022.

BARTHES, Roland. Aula. Trad. de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Editora Cultrix, 2007.

BATISTA, Antônio Augusto. Papéis velhos, manuscritos impressos: paleógrafos ou livros de leitura manuscrita. In: ABREU, Márcia; SCHAPOCHNIK, Nelson (org.). Cultura letrada no Brasil: objetos e práticas. São Paulo: Mercado de Letras; Associação da Leitura no Brasil, 2005, p. 87-116.

BOSI, Ecléa. Cultura de massa e cultura popular: leituras de operárias. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

BOURDIEU, Pierre. Les règles de l’art: genèse et structure du champ littéraire. Paris: Editions du Seuil, 1992.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Trad. de Mariza Corrêa. São Paulo: Papirus, 1996.

BOURDIEU, Pierre. (Débat avec Roger Chartier). La lecture: une pratique culturelle. In: CHARTIER, Roger (dir.). Pratiques de la lecture. Paris: Petite Biblioteque Payot, 2003. p. 277-306.

BOURDIEU, Pierre. A produção da crença: contribuições para uma economia dos bens simbólicos. Trad. de Guilherme João de Freitas Teixeira. Porto Alegre: Zouk, 2008.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. Trad. de Sergio Miceli. São Paulo: Perspectiva, 2011.

BOURDIEU, Pierre; DARBEL, Alain. O amor pela arte: os museus de arte na Europa e seu público. Trad. de Guilherme João de Freitas Teixeira. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; Porto Alegre: Zouk, 2007.

CASTRO, Juan Carlos Pita. Devenir artiste, une enquete biografique. Paris: L’Harmattan, 2013.

CERTEAU, Michel. L’invention du quotidien 1. Arts de faire. Paris: Gallimard, 1990.

CHARTIER, Roger. Du livre au lire. In: CHARTIER, Roger (dir.). Pratiques de la lecture. Paris: Petite Biblioteque Payot, 2003a, p. 81-118.

CHARTIER, Roger. Formas e sentido. cultura escrita: entre distinção e apropriação. São Paulo: Mercado de Letras; Associação de Leitura no brasil, 2003b.

CHARTIER, Roger. Inscrire et effacer. Culture écrite et littérature (XI-XVIII siècle). Paris: Gallimard/Le seuil, 2005.

CHARTIER, Roger. O livro e seus poderes (séculos XV a XVIII). In: COUTINHO, Eduardo Granja et al. (org.). Letra impressa: comunicação, cultura e sociedade. Trad. de Mariana Gomes da Costa. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 15-52.

CHARTIER, Roger. Escutar os mortos com os olhos. Revista Estudos Avançados, São Paulo, n. 69, p. 7-30, 2010.

CHARTIER, Roger. Culture écrite et société. L’ordre des livres (XIV-XVIII siècle). Paris: Albin Michel, 1996.

CHARTIER, Roger. O que é um autor? Revisão de uma genealogia. Trad. de Pedro Armando de Almeida Magalhães São Carlos: Ed. UFScar, 2012.

CHARTIER, Roger. La main de l’auteur et l’esprit de l’imprimeur XVI-XIII siècle. Paris: Gallimard, 2015.

COMPAGNON, Antoine. Le démon de la théorie: littérature et sens commun. Paris: Éditions du Seuil, 1998.

COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Trad. de Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2012.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. São Paulo: Perspectiva, 1998.

ERIBON, Didier. Théories de la littérature: système du genre et verdicts sexuels. Paris: PUF, 2015.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Trad. de Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Trad. de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1993.

GINZBURG, Jaime. Crítica em tempos de violência. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, FAPESP, 2012.

GONÇALVES, José Eduardo (org). Ofício da Palavra. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

HEINICH, Nathalie. Être écrivain: création et identité. Paris: Editions La Découverte, 2000.

LAHIRE, Bernard. Champs, hors-champ, contrechamp. In: LAHIRE, Bernard (dir.). Le travail sociologue de Pierre Bourdieu: dettes et critiques. Paris: La découverte, 2001. p. 23-57.

LAHIRE, Bernard. La condition littéraire: la double vie des écrivains. Paris: La découverte, 2006.

LAHIRE, Bernard. Retratos sociológicos: disposições e variações individuais. Porto Alegre: Artmed, 2004.

LAHIRE, Bernard. Dans les plis singuliers du social: Individu, institutions, socialisations, Paris: La découverte, 2013.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. A literatura rarefeita: leitura e livro no Brasil. São Paulo: Ática, 2002.

LAJOLO, Marisa. Do mundo da leitura para a leitura do mundo. São Paulo: Ática, 1993.

LARROSA, Jorge. Apprendre et être: langage, littérature et expérience de formation. Paris: ESF éditeur, 1998.

MACHADO, Maria Z. V.; PAIVA, Aparecida; MARTINS, Aracy Alves; PAULINO, Graça (orgs). Escolhas (literárias) em jogo. Belo Horizonte: Ceale; Autêntica, 2009.

MAINGUENEAU, Dominique. O contexto da obra literária: enunciação, escritor, sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2001.)

MAINGUENEAU, Dominique. L’Analyse du Discours et l’étude de la Littérature. In: MAINGUENEAU, Dominique; OSTENSTAD, Inger (dir.). Au-delà des œuvres: les vois de l’analyse du discours littéraire. Paris: L’Harmattan, 2010, p. 13-33.

MENGER, Pierre-Michel. Être artiste: oeuvrer dans l’incertitude. Paris: Al Dante/Aka, 2012.

OLINDA, Sahmaroni Rodrigues de. Formação-artista e territórios existenciais: biografização, escrita e experiência. 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

OLINDA, Sahmaroni Rodrigues de. Letramentos artístico-literários e análise de discurso: formas de ser, formas de ler. Cadernos do GPOSSHE On-line, v. 7, n. 1, p. 142-166, 2023.

PELBART, Peter Pál. Indivíduo e potência. In: NEUPARTH, Sofia; GREINER, Christine (orgs.). Arte agora: pensamentos enraizados na experiência. São Paulo: Annablume, 2011, p. 33-48.

PERROT, Michelle. Une éthique du faire. In: DELACROIX, Charles; DOSSE, Françoi et al. (dir.). Michel de Certeau: les chemins de l’histoire. Bruxelles: Èditions Complexe, 2002, p. 209-218.

RANCIÈRE, Jacques. Le maitre ignorant: cinq leçons sur l’émancipation intellectuelle. Paris: Fayard, 1987.

RANCIÉRE, Jacques. Le partage du sensible: esthétique et politique. Paris: La fabrique éditions, 2000.

RANCIÉRE, Jacques. La haine de la démocratie. Paris: La fabrique éditions, 2005.

VIALA, Alain et al. Le dictionnaire du littéraire. Paris: PUF, 2002.

ZILBERMAN, Regina. Letramento literário: não ao texto, sim ao livro. In: PAIVA, Aparecida; GRAÇA, Aracy Martins; PAULINO, Zélia Versani (org.). Literatura e letramento: espaços, suportes e interfaces – o jogo do livro. Belo Horizonte: Autêntica/CEALE/FaE/UFMG, 2007, p. 245-266.

Downloads

Publicado

2023-09-18

Como Citar

OLINDA, Sahmaroni Rodrigues de. O conceito de literatura: entre suportes e alquimias sociais. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 28, p. 01–21, 2023. DOI: 10.5007/2175-7917.2023.e92490. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/92490. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos