De Marielle para Conceição, de Conceição para Marielle: gestos que vingam e fazem vingar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2023.e92507

Palavras-chave:

Autoria feminina, Conceição Evaristo, Marielle Franco, Poesia, Política

Resumo

Considerando a (ins)urgência de assumir a expressão literária enquanto produção teórica, a exemplo do que nos provoca Heloísa Buarque de Hollanda (2020), partimos do título do segundo livro de poesia de Danielle Magalhães, Vingar (2021), para pensar nos gestos de rasura, acolhimento e reconhecimento articulados na relação afetiva, poética e política que aproxima Marielle Franco e Conceição Evaristo. Para tanto, analisamos os sentidos desses gestos na homenagem que a vereadora carioca prestou à escritora mineira na Câmara de vereadores do Rio, em 2017, e no poema (re)escrito por Evaristo que abre a antologia, publicada em 2018, Um girassol nos teus cabelos: poemas para Marielle Franco (SILVA; MARA; KUBOTA, 2018). A partir dessas análises, argumentamos que a articulação desses gestos é parâmetro para nos aproximarmos de uma parte importante da poesia de autoria feminina contemporânea: aquela interessada em vingar e fazer vingar corpos considerados não passíveis de serem enlutados pelo Estado. Como subsídio teórico, elegemos Butler (2020), Hollanda (2020), Magalhães (2021), Kiffer; Giorgi (2019), Piedade (2017), entre outras e outros.

Biografia do Autor

Moama Lorena de Lacerda Marques, Universidade Federal da Paraíba

Professora Adjunta de Literaturas em Língua Portuguesa da Universidade Federal da Paraíba e uma das líderes do Grupo de Pesquisa Laboratório de Estudos de Poesia (LEP), também atuando como docente do PROFLETRAS (UFPB) e do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL/UFPB). Seus principais interesses de pesquisa estão voltados para a recepção crítica da poesia de autoria feminina e para o ensino de literatura.

Referências

BUTLER, Judith. Vida precária: os poderes do luto e da violência. Trad. de Andreas Liebe. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

EVARISTO, Conceição. Tantas são as estrelas. In: EVARISTO, Conceição. Poemas da recordação e outros movimentos. Rio de Janeiro: Malê, 2017, p. 111-112.

EVARISTO, Conceição. Não, nós nos negamos a acreditar. In: SILVA, Cidinha da; MARA, Eliana; KUBOTA, Marília (org.). Um girassol nos teus cabelos: poemas para Marielle Franco. Belo Horizonte: Quintal Edições, 2018, p. 07-08.

FRANCISCO, Mônica. Conceição Evaristo recebe Medalha Pedro Ernesto na Câmara Municipal do Rio. Portal Geledés, 01 ago. 2018. Disponível em: https://www.geledes.org.br/conceicao-evaristo-recebe-medalha-pedro-ernesto-na-camara-municipal-do-rio/. Acesso em: 19 jan. 2022.

BLOG MARIELLE FRANCO. O dia que a Câmara do Rio enegreceu. Marielle Franco, 11 set. 2017. Disponível em: https://www.mariellefranco.com.br/blog/o-dia-que-a-camara-dorio-enegreceu. Acesso em: 19 jan. 2022.

EQUIPE MARIELLE FRANCO. Relatório da comissão de defesa da mulher (2017-2018). Rio de Janeiro: Câmera Municipal do Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://www.mariellefranco.com.br/relatorio-comissao-da-mulher. Acesso em: 19 jan. 2022.

GEIGER, Paulo (Org.). Novíssimo Aulete: dicionário contemporâneo da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Lexicon, 2012.

KIFFER, Ana; GIORGI, Gabriel. Ódios políticos e políticas do ódio: lutas, gestos e escritas do presente. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2019. (Coleção Por que política?).

LISBOA, Vinícius. Conceição Evaristo se emociona ao falar de Marielle: ‘O vazio está aí’. Agência Brasil, 27 jul. 2018. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-07/conceicao-evaristo-se-emociona-ao-falar-de-marielle-o-vazio-esta-ai. Acesso em: 19 jan. 2022.

LUCENA, Felipe. História Palácio Pedro Ernesto (Câmara dos Vereadores do Rio). Diário do Rio, 7 abr. 2019. Disponível em: https://diariodorio.com/historia-palacio-pedro-ernesto-camara-dos-vereadores-do-rio/. Acesso em: 19 jan. 2022.

MAGALHÃES, Danielle. Vingar. Rio de Janeiro: Editora 7Letras, 2021.

MAGALHÃES, Danielle. Vingar (sinopse), 7Letras, 2018. Disponível em: https://7letras.com.br/livro/vingar/. Acesso em: 19 jan. 2021.

MIÑOSO, Yuderkys Espinosa. Sobre e por que é necessário um feminismo decolonial: diferenciação, dominação coconstitutiva da modernidade ocidental. MASP Afterall: São Paulo, 2020.

PIEDADE, Vilma. Dororidade. São Paulo: Editora Nós, 2017.

RANCIÈRE, Jacques. A política tem sempre uma dimensão estética. Entrevista concedida a Gabriela Longman e Diego Viana. Revista Cult, mar. 2010. Disponível em: https://revistacult.uol.com.br/home/entrevista-jacques-ranciere/ Acesso em: 19 jan. 2022.

RODRIGUES, Léo. Legado de Marielle: assessoras são eleitas para Assembleia do Rio. Agência Brasil, 12 out. 2018 às 16:29. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2018-10/legado-de-marielle-assessoras-sao-eleitas-para-assembleia-do-rio. Acesso em: 19 jan. 2022.

ROSSI, Marina. “Quando dizem que Marielle virou semente, é muito real”. El País, 12 out. 2018 às 22:06. Disponível em:

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/10/12/politica/1539356144_236403.html. Acesso em: 19 jan. 2022.

SANTIAGO, Vinicius. Enlutar para não esquecer: o luto público de Marielle Franco e o racismo brasileiro. Heinrich Böll Stiftung, 29 mar. 2018. Disponível em: https://br.boell.org/pt-br/2018/03/29/enlutar-para-nao-esquecer-o-luto-publico-de-marielle-franco-e-o-racismo-brasileiro. Acesso em 19 jan. 2022.

Downloads

Publicado

2023-04-14

Como Citar

MARQUES, Moama Lorena de Lacerda. De Marielle para Conceição, de Conceição para Marielle: gestos que vingam e fazem vingar. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 28, p. 01–16, 2023. DOI: 10.5007/2175-7917.2023.e92507. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/92507. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos