A leitura e a formação de leitores: um estudo bibliográfico sobre a leitura e a hora do conto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2023.e92551

Palavras-chave:

Leitura literária, Hora do Conto, Mediação, Formação de leitores

Resumo

Esta pesquisa objetiva apresentar a contribuição da leitura literária para a formação de leitores, voltada para a prática da Hora do Conto, alicerçados no Materialismo Histórico-Dialético e na Teoria Histórico-Cultural. A metodologia utilizada foi um estudo bibliográfico sobre leitura literária e Hora do Conto, com levantamento do estado da arte utilizando-se de descritores. É necessário que o professor acredite que a literatura infantil está presente na escola para ir além da informação, que forneça condições para que seu aluno se interesse pela leitura literária, que consiga selecionar as leituras que mais lhe agrade, que o professor crie a necessidade pela leitura nesse leitor iniciante, que tenha claro que ler é bom, e que não é preciso atribuir tarefas monótonas após essa leitura. Na seleção dos trabalhos selecionados percebemos que a Hora do Conto se mantém como um momento de promoção de cultura, pois durante a sua realização não há preocupação com atividades em papéis, com leitura para pretexto, mas sim como leitura deleite, pois sabe que estão aprendendo pelo ato de ler, de ouvir e imaginar.

Biografia do Autor

Adrielly Rocateli Marestone, Universidade Estadual de Londrina

Mestra e Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Membro do Grupo de Pesquisa Leitura e Educação: práticas pedagógicas na perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica. Especialista em Psicopedagogia Clínica, Institucional e Hospitalar (UNINGÁ). Graduada em Pedagogia pela UEL (2013-2017). Formação de Docentes em nível Médio na modalidade Normal (2009-2012).

Sandra Aparecida Pires Franco, Universidade Estadual de Londrina

Possui Graduação em Letras pela UEM, Graduação em Pedagogia, Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (2003), Doutorado em Letras na UEL (2008) e Pós-Doutorado em Educação pela UNESP de Marília – SP (2016). É líder do Grupo de Pesquisa Leitura e Educação: práticas pedagógicas na perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica. É professora adjunto do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Londrina – UEL, na área de Didática e professora da Programa de Pós-Graduação em Educação – UEL.

Referências

ARENA, Dagoberto Buim. Nem hábito, nem gosto, nem prazer. In: MORTATTI, Maria do Rosário Longo (org.). Atuação de professores: propostas de ação reflexiva no ensino fundamental. Araraquara, SP: JM Editora, 2001. p. 53-61.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2002.

BRENMAN, Ilan. Através da Vidraça da Escola: formando novos leitores. 2. ed. São Paulo: Aletria, 2012.

BUSATTO, Cléo. Contar e encantar – pequenos segredos da narrativa. Petrópolis: Vozes, 2003.

CANDIDO, Antônio. A literatura e a formação do homem. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 24, n. 9, p. 803-809, set. 1972. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/download/8635992/3701. Acesso em: 04 ago. 2022.

COELHO, Betty. Contar histórias: uma arte sem idade. São Paulo: Ática, 1990.

COELHO, Nelly Novaes. Panorama histórico da literatura infantil/juvenil: das origens indo-europeias ao Brasil contemporâneo. 4. ed. São Paulo: Ática, 1991.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.

GAGLIARDI, Eliana. Trabalhando com os gêneros do discurso: narrar: conto de fadas. São Paulo: FTD, 2001.

GOMES, Heloísa Mascarenhas; SILVA, Rovilson José da. Hora do conto na biblioteca escolar do Colégio de Aplicação da Universidade Estadual de Londrina-PR. Linha Mestra, v. 16, n. 46, p. 885-894, 2022.

JUNÇA, Margarida. Educação literária e contadores de histórias: um testemunho na primeira pessoa. In: AZEVEDO, Fernando; BALÇA, Angela (org.). Leitura e Educação Literária. Lisboa: Pactor, 2016. p. 113-120.

LAJOLO, Marisa. Literatura infantil brasileira. 2. ed. São Paulo: Ática, 1985.

LUKÁCS, Gyorgy. Introdução a uma estética marxista: sobre a categoria da particularidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

MARCHESINI, Patricia. Práticas e ambiências de leitura: reflexões a partir de escola de educação infantil em Nova Prata. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade de Caxias do Sul. Caxias do Sul, 2021.

MEIRELES, Cecília. Problemas da literatura infantil. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

PERROTTI, Edmir. Confinamento cultural, infância e leitura. São Paulo: Summus, 1990.

REGINATO, Celia Aparecida. Literatura infantil: contribuições para a formação da criança leitora numa perspectiva humanizadora. 2002. 106 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2022.

SILVA, Andrea Lucia da; LIRA, Valéria Krykhtine. Letramento na educação infantil. Rio de Janeiro: E-Papers, 2003.

SOARES, Magda. Alfabetização e Letramento. São Paulo: Contexto, 2002.

SOARES, Magda. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, Aracy Alves Martins; BRANDÃO, Heliana Maria Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani Machado (orgs.). A escolarização da leitura literária: o jogo do livro infantil e juvenil. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 17- 48.

ZILBERMAN, Regina; LAJOLO, Marisa. Literatura Infantil Brasileira: história e histórias. São Paulo: Ática, 1985.

Downloads

Publicado

2023-07-04

Como Citar

MARESTONE, . R.; FRANCO, . A. P. A leitura e a formação de leitores: um estudo bibliográfico sobre a leitura e a hora do conto. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 28, p. 01–16, 2023. DOI: 10.5007/2175-7917.2023.e92551. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/92551. Acesso em: 2 dez. 2023.

Edição

Seção

Artigos