As elites brasileiras nos romances de Michel Laub, Andréa Del Fuego e Clara Drummond: uma revanche contra o bolsonarismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2024.e95476

Palavras-chave:

Cismogênese, Realismo, Elites brasileiras, Bolsonarismo

Resumo

Este artigo estuda a reação de alguns escritores brasileiros ao processo de deterioração política desencadeado pelo bolsonarismo. Partindo da ideia de que houve uma cismogênese na política brasileira em decorrência dos comportamentos antiestruturais dos apoiados do ex-presidente Jair Bolsonaro, busca-se aqui evidenciar o modo pelo qual os escritores Michel Laub, Andréa Del Fuego e Clara Drummond se posicionaram contra a perseguição bolsonarista à classe artística, criando obras em que as elites brasileiras, identificadas socialmente com o viés político neoliberal e conservador do ex-presidente, são representadas de forma caricatural. No final, o artigo conclui que esses escritores produziram personagens caricaturais a fim de fazer prevalecer sua posição política antibolsonarista, sustentada especialmente pela crítica às elites e determinada pelo contexto da rivalidade política disseminada nos anos do governo Bolsonaro.

Biografia do Autor

Antonio Barros de Brito Junior, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor e Mestre em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) respectivamente em 2010 e 2006. Professor do Departamento de Linguística, Filologia e Teoria Literária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul desde 2010 e do Programa de Pós-Graduação em Letras do Instituto de Letras da UFRGS desde 2013.

Referências

AUERBACH, Eric. Mimesis. A representação da realidade na literatura ocidental. Trad. de George Bernard Sperber et al. São Paulo: Perspectiva, 2021.

BATESON, Gregory. Naven. Um exame dos problemas sugeridos por um retrato compósito da cultura de uma tribo da Nova Guiné, desenhado a partir de três perspectivas. Trad. de Magda Lopes. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

CESARINO, Letícia. Como vencer uma eleição sem sair de casa: a ascensão do populismo digital no Brasil. Internet & Sociedade, n. 1, v. 1, p. 91-120, fev. 2020.

CESARINO, Letícia. O mundo do avesso. Verdade e política na era digital. São Paulo: Ubu Editora, 2022.

CPI da covid pede indiciamento de Luciano Hang por incitação ao crime. G1, 20 de outubro de 2021. Disponível em: https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2021/10/20/cpi-da-covid-pede-indiciamento-de-luciano-hang-por-incitacao-ao-crime.ghtml. Acesso em 18 jan. 2023.

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea. Um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte, 2012.

DEL FUEGO, Andréa. A pediatra. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

DONO do Madero diz que Brasil não pode parar por ‘5 ou 7 mil mortes’. IstoÉ, 24 de março de 2020. Disponível em: https://istoe.com.br/dono-do-madero-diz-que-brasil-nao-pode-parar-por-5-ou-7-mil-mortes/. Acesso em 18 jan. 2023.

DRUMMOND, Clara. Os coadjuvantes. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

DRUMMOND, Clara. Questionário Proust. Clara Drummond, jornalista e escritora. Gama, 9 de abril de 2022. Disponível em: https://gamarevista.uol.com.br/pessoas/questionario-proust/clara-drummond/. Acesso em 18 jan. 2023.

DUARTE, Melissa. Gabinete paralelo cometeu “crime de epidemia na modalidade culposa”, diz relatório da CPI da Covid. O Globo, 20 de outubro de 2021. Disponível em: https://oglobo.globo.com/politica/gabinete-paralelo-cometeu-crime-de-epidemia-na-modalidade-culposa-diz-relatorio-da-cpi-da-covid-1-25243866. Acesso em 18 jan. 2023.

FALERO, José. Os supridores. São Paulo: Todavia, 2020.

FIOCRUZ. Observatório Covid-19. Boletim especial – balanço de dois anos da pandemia Covid-19, janeiro de 2020 a janeiro de 2022. Publicado em janeiro de 2022. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/documento/boletim-covid-balanco-de-2-anos-da-pandemia. Acesso em 18 jan. 2023.

FISHER, Max. A máquina do caos. Como as redes sociais reprogramaram nossa mente e nosso mundo. Trad. de Érico Assis. São Paulo: Todavia, 2023.

FOLHA de S. Paulo. Eleições 2022. Datafolha. Instituto de pesquisas. Disponível em: https://media.folha.uol.com.br/datafolha/2022/10/27/avaliacao_do_presidente_jair_bolsonar__2_turno_27_10-22.pdf. Acesso em 18 jan. 2023.

GRAEBER, David; WENGROW, David. O despertar de tudo. Uma nova história da humanidade. Trad. de Denise Bottmann e Claudio Marcondes. São Paulo: Companhia das Letras, 2022.

IORY, Nicolas. Datafolha: em eventual segundo turno, Bolsonaro atrai voto dos mais ricos e Lula avança entre jovens. O Globo, 08 de agosto de 2022. Disponível em: https://oglobo.globo.com/blogs/pulso/post/2022/08/datafolha-em-eventual-segundo-turno-bolsonaro-atrai-voto-dos-mais-ricos-e-lula-avanca-entre-jovens.ghtml. Acesso em 18 jan. 2023.

JUSTUS, em vídeo: “15 mil mortos é um número muito pequeno”. Congresso em Foco, 24 de março de 2020. Disponível em: https://congressoemfoco.uol.com.br/temas/midia/justus-em-video-15-mil-mortos-e-numero-muito-pequeno/. Acesso em 18 jan. 2023.

LAUB, Michel. Solução de dois estados. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

MENA, Fernanda. 33 milhões de passam fome no Brasil, mais que há 30 anos, aponta pesquisa. Folha de S. Paulo. São Paulo, 08 de junho de 2022. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2022/06/33-milhoes-de-pessoas-passam-fome-no-brasil-atualmente-aponta-pesquisa.shtml. Acesso em 18 jan. 2023.

MENDONÇA, Heloísa. Queermuseu: o dia em que a intolerância pegou uma exposição para Cristo. El País. 13 de setembro de 2017. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/11/politica/1505164425_555164.html. Acesso em 18 jan. 2023.

NOBRE, Marcos. Limites da democracia. De junho de 2013 ao governo Bolsonaro. São Paulo: Todavia, 2022.

NUNES, Rodrigo. Do transe à vertigem. Ensaios sobre bolsonarismo e um mundo em transição. São Paulo: Ubu Editora, 2022.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso. Uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. de Eni P. Orlandi et al. Campinas: Editora da Unicamp, 1995.

RANCIÈRE, Jacques. O espectador emancipado. Trad. de José Mirada Justo. Lisboa: Orfeu Negro, 2010.

RANCIÈRE, Jacques. Nas margens do político. Trad. de Vanessa Brito e João Pedro Cachopo. Lisboa: KKYM, 2014.

RIZZI, Hiago; DEL FUEGO, Andréa. Entrevista | Andréa Del Fuego. Cândido, Curitiba, n. 141,, 29 out. 2021. Disponível em: https://www.bpp.pr.gov.br/Candido/Noticia/ENTREVISTA-Andrea-del-Fuego. Acesso em 18 jan. 2023.

ROCHA, Camila. Menos Marx, Mais Mises. O liberalismo e a nova direita no Brasil. São Paulo: Todavia, 2021.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Realismo afetivo: evocar realismo além da representação. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 39, p. 129-148, jan-jun. 2012.

TENÓRIO, Jefferson. O avesso da pele. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

TAUSSIG, Michael. Mimesis and Alterity. A Particular History of the Senses. Nova York; Londres: Routledge, 1993.

VIEIRA Jr., Itamar. Torto arado. São Paulo: Todavia, 2019.

VILLAS BÔAS, Luciana. A República de chinelos. Bolsonaro e o desmonte da representação. São Paulo: Editora 34, 2022.

WATT, Ian. O realismo e a forma romance. In: WATT, Ian. A ascensão do romance. Trad. de Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 11-33.

Downloads

Publicado

2024-01-26

Como Citar

BRITO JUNIOR, Antonio Barros de. As elites brasileiras nos romances de Michel Laub, Andréa Del Fuego e Clara Drummond: uma revanche contra o bolsonarismo. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 29, p. 01–22, 2024. DOI: 10.5007/2175-7917.2024.e95476. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/95476. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos