O outro de Ana Cristina Cesar: WW ou um qualquer

Ana Carolina Cernicchiaro

Resumo


Quem é Ana Cristina Cesar? A quem perguntar senão ao outro (como fazia Jacques Derrida ao gato1), a um outro, ao outro qualquer que somos nós seus leitores, estes que ela abraça e se joga aos pés; ao outro qualquer que são seus amigos: WW, KM, LM, Jack, Charles, Caio, Ângela, enfim, um índice onomástico inteiro. Aos outros seus conterrâneos, não só os do Rio de Janeiro, mas os da cidade dos poetas, Londres, Lisboa, Paris, Nova York, Belo Horizonte, São Paulo, etc, etc, etc. Ao outro suas personagens, suas máscaras, Ana C, ACC, Ana Cristina Cesar, o gato, a toalha, aquela que ouve Roberto Carlos, que assiste Casablanca, que briga com Freud, que conversa com uma amiga, que bate à porta de um amigo, que pega um táxi, que fuma debaixo da janela, “meio-bruxa, meia-fera”, a que tem sobressaltos, que escreve no automóvel, entre tantas outras que não são


Palavras-chave


Ana Cristina Cesar; WW; um qualquer

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2010nesp3p176

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon