Murilo, o surrealismo e a religião

Raúl Antelo

Resumo


O recente centenário de Murilo Mendes nos forneceu a ocasião para avaliar de que modo se vinculam, em sua obra, poesia, religião e modernidade 2. Creio, em poucas palavras, antecipando o argumento que pretendo desenvolver, que em Murilo Mendes podemos encontrar uma posição eqüidistante entre, de um lado, o cristianismo escriturário, e sua crença de uma verdade única, ainda que essa singularidade esteja igualmente aberta à indeterminação dos sistemas significantes e, de outro, o relativismo hermenêutico, que rechaça a idéia de que possa haver uma verdade final e definitiva. Porém, para poder demonstrar esta minha hipótese, torna-se necessário uma análise do ambiente cultural em que Murilo elabora seus conceitos a respeito de religião e literatura, reconstruindo, notadamente, o debate que, mesmo na Europa de entre-guerras, suscitavam estas questões.

Palavras-chave


Murilo Mendes, Surrealismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon