Caminhos de uma formação: Os Destinos Mistos de Clima

George Luiz França

Resumo


Como dissecar o universo de sociabilidade de uma geração que produziu, aos olhos de um grupo dentro dela própria, muito mais crítica de arte do que criação artística no Brasil? É o problema que se põe Heloísa Pontes ao se defrontar com os jovens que, através da revista Clima, construíram uma tradição dentro do pensamento brasileiro sobre arte e sociedade, e galgaram, eles próprios, os degraus da institucionalização de seus próprios nomes como autoridades intelectuais. Eis o ponto de partida do percurso de Destinos mistos. Fundamental para a análise da autora é um conceito elaborado pelo sociólogo da cultura Raymond Williams para analisar a Bloomsbury Group, de que participavam Virginia e Leonard Woolf, Vanessa e Clive Bell, Maynard Keanes, entre outros artistas e intelectuais importantes da Inglaterra do início do século XX (e não só daquele período): o de formação.

Palavras-chave


Resenha; Caminho; Formação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon