Idílios Exílios

Autores

  • Carlos Eduardo Schmidt Capela Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-784X.2009v9n14p78

Palavras-chave:

Agamben, Exílio, Mario de Andrade

Resumo

Banir, ou exilar, como mostra Giorgio Agamben, é uma forma sutil de contenção, de manter mesmo o despejo sob controle, de expandir fronteiras ao infinito, de anular o neutro. Preenchimento absurdo, nem pena, nem prêmio. Apenas um modo enviesado, engenhoso, de manter no terreno do próprio mesmo aquilo ou aquele que não tem, pois foi despossuído, propriamente valor. Ou, por outra, cujo valor é insuportável, irredutível, incontável e inabordável. Estranho lugar, esse, o da literatura.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Schmidt Capela, Universidade Federal de Santa Catarina

possui graduação em Bacharelado e Licenciatura Em Letras pela Universidade Estadual de Campinas (1983), mestrado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (1989) e doutorado em Doutor Em Literatura - Katholieke Universiteit Leuven (1996). Atualmente é professor associado da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria literária, literaratura brasileira, literatura comparada, literatura brasileira e literatura e imigração.

Downloads

Publicado

2010-02-06