Ana Cristina Cesar e Caio Fernando Abreu: Literatura entre amigos

Camila Morgana Lourenço

Resumo


Ana Cristina Cesar (1952-83) bebeu dos mortos – e dos vivos. Manteve uma relação intensa, de assombro e devoração, com a tradição literária e não deixou de dialogar com a contemporaneidade, encontrando em Caio Fernando Abreu (1948-96) um interlocutor – e vice-versa.

A partir disso, como aproximar, com alguma pertinência crítica, a literatura de Ana Cristina Cesar da literatura de Caio Fernando Abreu, sobrepujando os paralelismos biográficos, sempre escorregadios – para não dizer pegajosos –, para provocar ou convocar a desejada reflexão a que se propõe o discurso acadêmico?


Palavras-chave


Ana Cristina Cesar; Caio Fernando Abreu; Literatura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2010nesp3p168

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon