A ascese da Imagem Poética no encontro Jorge de Lima e Murilo Mendes

Luciana Tiscoski

Resumo


A partir do encontro de Murilo Mendes, Jorge de Lima e Ismael Nery e a conseqüente criação do livro de poemas Tempo e Eternidade, de 1935, após a morte do último, em 1930, os poetas Murilo e Jorge recriam sua voz poética na Restauração da poesia em Cristo. Num crescente questionamento do lugar do poeta na caótica modernidade, bem como na crença deste lugar como de ascese espiritual e recriação da imagem no plano onírico, os poetas aqui analisados nutriram sua trajetória com um surrealismo particular. A afinidade eletiva dos três artistas e sua aproximação com as artes plásticas podem ser apreciadas na linguagem tornada imagem, bem como na imagem tornada linguagem, como é o caso das séries de fotomontagens de Jorge de Lima aqui analisadas. Num procedimento tipicamente surrealista, Jorge de Lima apresenta imagens do inconsciente permeadas de poesia, onde ecoa a filosofia essencialista e visionária do poeta e pintor Ismael Nery, tantas vezes reivindicada por Murilo Mendes. Trata-se da abstração do tempo e do espaço, temas recorrentes em Jorge e Murilo, bem como a errância do homem e os atos do Cristo, a força da matéria e do erotismo, o equilíbrio entre as leis físicas e morais, o essencial, o absoluto e a unidade.


Palavras-chave


Murilo Mendes, Jorge de Lima, Ismael Nery, essencialismo, abstração do tempo e do espaço, surrealismo, fotomontagens.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2010nesp3p28

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon