Mímico Dadá

Hal Foster

Resumo


É uma representação célebre, mas ainda assim extraordinária. No dia 23 de junho de 1916, no Cabaret Voltaire, em Zurique, Hugo Ball estreia os seus poemas sonoros ou os poemas-sem-palavras: “As minhas pernas estavam em um cilindro de cartolina azul brilhante que vinha até o meu quadril, assim eu parecia um obelisco”, conta em Voo fora do tempo (Flight out of time), o seu grande diário de 1914-21.


Palavras-chave


Hugo Ball; Performance; Entusiasmo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2012v12n17p96

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon