Gonçalo M. Tavares no reino dos capitais circulantes

Autores

  • Júlia Vasconcelos Studart Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-784X.2014v14n22p127

Palavras-chave:

Esfera, Máquina, Transparência

Resumo

O texto é uma breve arqueologia do homem com a máquina a partir da série O Reino, de Gonçalo M. Tavares e do quanto e como este projeto, composto por quatro romances, se organiza em torno de uma morfologia esférica que vem da modernidade até o presente – o espaço contemporâneo – cumprindo à risca uma espécie de denúncia da coreografia desoladora do homem e sua posição no mundo em meio às máquinas fortes repetidoras da catástrofe.

 

Biografia do Autor

Júlia Vasconcelos Studart, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Professora da Escola de Letras da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Downloads

Publicado

2014-12-19