Tinha uma grippe no meio da cidade

Autores

  • Saulo de Araújo Lemos Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-784X.2015v15n23p18

Palavras-chave:

Literatura comparada, Movimento, Vírus

Resumo

O mez da grippe, de Valêncio Xavier (1933-2008), é uma obra inovadora que cria um espaço e uma ânsia narrativa a partir de imagens e textos extraídos diretamente dos meios de comunicação da época, de fontes diversas, e de inserções ficcionais de texto escrito pelo autor-organizador. O tema que reúne os elementos dessa colagem é o episódio da epidemia de gripe espanhola que acometeu Curitiba em 1918, ano em que se encerrava tanto a I Guerra Mundial como a belle époque europeia. Neste artigo, pretende-se discutir de que modo a forma literária é móvel em sua aparente fixação, e como isso produz relações inusitadas entre o homem e seus outros (o animal, o vegetal, o vírus e ele mesmo); assim, entende-se que a civilização é alimentada pela barbárie que ameaça destruí-la, e nisso há uma espécie de música.

Biografia do Autor

Saulo de Araújo Lemos, Universidade Estadual do Ceará

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Ceará e professor-assistente da Universidade Estadual do Ceará.

Downloads

Publicado

2015-12-18