A procura d’O caminho de Gilgamesh (Rio de Janeiro, 1937; Lisboa, 1967), ou semblança de Gregorio Neynes

Autores

  • Bairon Oswaldo Vélez Escallón Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-784X.2016v16n25p32

Palavras-chave:

Neyes, Guimarães Rosa, Antropofagia, Estilo vestigial, Literatura brasileira

Resumo

Este trabalho apresenta o livro O caminho de Gilgamesh: vestígios para a reconstituição de um bailado, publicado sob o pseudônimo Gregorio Neynes, em 1937, no Rio de Janeiro, e reeditado em 1967, em Lisboa. Livro raro, e não incluído em histórias da literatura ou do pensamento apesar da sua presença nas bibliotecas e arquivos pessoais de Mario de Andrade e Guimarães Rosa, trata-se de uma constelação de aforismos que se apresentam como a transcrição dos passos do herói sumério Gilgamesh, gravados em fragmentos de argila. Este artigo descreve de maneira geral essa constelação, a circunstância do seu achado, e tenta a sua inserção numa série literária que, talvez, permita a legibilidade que a sua própria obscuridade parece impedir.

Biografia do Autor

Bairon Oswaldo Vélez Escallón, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

2016-11-17