A poesia contemporânea em suas revistas entre o passado e o porvir

Fabiula dos Santos Schauffert

Resumo


Num mundo dominado pela técnica, em que novas tecnologias não cessam de serem superadas por outras inovações, tornando-se logo obsoletas, é espantoso verificar que ainda se continue a produzir e publicar poesia e revistas de poesia recorrendo-se ao recurso do velho papel. Convivendo com uma série de revistas eletrônicas e práticas poéticas que exploram os recursos dos meios digitais, estas revistas ainda apostam no antigo suporte e nas possibilidades que sua materialidade dispõe, a qual também passa a ser influenciada pelas inovações tecnológicas e pela mudança do suporte da escrita do papel para a tela do computador. É o que atestam as inúmeras publicações impressas no velho papel, de revistas literárias, de caráter independente, editadas por poetas, e não raro, dedicadas exclusivamente à poesia e a reflexão sobre poesia, que surgiram principalmente a partir dos anos 90.


Palavras-chave


Revista; Poesia; Periodismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784x.2008v8n12p193

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon