Novo Jornalismo: fronteiras litero-factuais em A sangue Frio e em Radical Chique

Francisco Aquinei Timóteo Queirós

Resumo


A pesquisa busca analisar de que forma fato e ficção se entrecruzam no “movimento” do Novo Jornalismo, a partir das obras A sangue Frio e Radical Chique e o Novo Jornalismo, de Truman Capote e Tom Wolfe, respectivamente. Pretende-se, a partir da investigação do corpus em estudo, revelar os aspectos que aproximam o fato jornalístico, a notícia e a reportagem às técnicas literárias do romance, do conto e da crônica. O estudo investiga o Novo Jornalismo sob o viés de textos centrais das áreas de teoria literária e estudos jornalísticos utilizando autores como Mikhail Bakhtin, Hayden White, Paul Ricoeur, Muniz Sodré; além de referenciar outros escritores que, como Tom Wolfe e Truman Capote, fizeram parte de um grande movimento renovador do jornalismo literário nos anos 1950, 1960 e 1970 chamado, genericamente, de Novo Jornalismo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2012v12n18p130

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon