Pirandello e a inquietude moderna

Andrea Quilian de Vargas, Rosani Ketzer Umbach

Resumo


O escritor e dramaturgo siciliano Luigi Pirandello viveu entre dois mundos: o atrasado universo da Sicília no final do século XIX, e a arrojada modernidade do início do XX. Sua obra contempla  a transformação das condições sociais e históricas da vida, ao mesmo tempo em que ressalta a impotência do homem diante dessa realidade.  Sua poética se articula segundo a dinâmica e a temática de uma estética decadentista que critica a sociedade e os postulados de um radicalismo artístico, assim como a ausência de sentido da história e da vida. O falecido Mattia Pascal, Um, nenhum e cem mil, Seis personagens à procura de um autor e Assim é (se lhe parece) são obras citadas neste trabalho com o intuito de mostrar que fragmentação, ruptura com a mimesis e antirrepresentação são uma constante em Pirandello, cuja obra se encontra imersa na contraditória modernidade.  


Palavras-chave


Pirandello; Modernidade; Antirrepresentação

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2015v15n23p210

Direitos autorais 2015 Boletim de Pesquisa NELIC



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon