Utilização das brânquias de Pimelodus maculatus (Lacèpéde, 1803) (Siluriformes; Pimelodidae) como biomarcador de poluição no reservatório da UHE Marechal Mascarenhas de Moraes, Minas Gerais, Brasil.

Diego José Nogueira, Sumaya Cardoso de Castro, Roberta Cristina Amâncio Vieira, Odila Rigolin de Sá, Valter Monteiro de Azevedo Santos

Resumo


As brânquias dos peixes são biomarcadores da toxicidade ambiental que, frequentemente, são utilizados na avaliação dos impactos causados por xenobióticos. O presente estudo visa avaliar a contaminação do reservatório Marechal Mascarenhas de Moraes, através da estimativa do índice de alterações morfológicas nas brânquias do Pimelodus maculatus causadas por agentes tóxicos. Os exemplares de P. maculatus foram co­letados em três pontos do reservatório da UHE Marechal Mascarenhas de Moraes. No próprio local de coleta, imediatamente, as brânquias dos indivíduos coletados foram retiradas e fixadas com Bouin. Estas foram coradas com Hematoxilina-Eosina para análise em microscopia de luz. A quantificação das alterações foi realizada por estereologia, e os índices das alterações foram estimados, classificando-se as lesões de moderado a graves nos três pontos de estudo.


Palavras-chave


Ecotoxicologia; Xenobióticos; Toxicidade; Reservatórios

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2011v24n3p51

Direitos autorais 2011 Diego José Nogueira, Sumaya Cardoso de Castro, Roberta Cristina Amâncio Vieira, Odila Rigolin de Sá, Valter Monteiro de Azevedo Santos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.