Uso da Valeriana officinalis em dietas de codornas japonesas na fase de postura

Rodrigo Antonio Gravena, Rafael Henrique Marques, Janaina Della Torre Silva, Fabricio Hirota Hada, Vanessa Karla Silva, Danisio Prado Munari, Vera Maria Barbosa de Moraes

Resumo


Este estudo teve como objetivo avaliar o efeito da Valeriana officinalis sobre o estresse de codornas japonesas na fase postura, analisando-se parâmetros de desempenho, comportamental e fisiolόgico. Foram utilizadas 192 aves dos 43 aos 140 dias de idade, distribuídas em blocos casualizados e submetidas a quatro níveis de valeriana (controle, 250, 500 e 750mg/Ng de ração) com oito repetições e seis aves por parcela. Foram avaliados parâmetros de desempenho (conversão alimentar por dúzia de ovos, conversão alimentar por massa de ovos, consumo de ração, peso dos ovos, porcentagem de postura e viabilidade), comportamentais (tempo em imobilidade tônica, observação focal e ferimentos corporais) e fisiolόgicos (níveis plasmáticos de corticosterona e relação heterόfilo:linfόcito). Os resultados obtidos na fase de postura demonstraram que a valeriana adicionada na dieta não foi capaz de reduzir o estresse das aves e não afetou o desempenho produtivo.


Palavras-chave


Estresse; Imobilidade tônica; Níveis plasmáticos de corticosterona; Relação heterόfilo: linfόcito; Valeriana officinalis

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n4p185

Direitos autorais 2011 Rodrigo Antonio Gravena, Rafael Henrique Marques, Janaina Della Torre Silva, Fabricio Hirota Hada, Vanessa Karla Silva, Danisio Prado Munari, Vera Maria Barbosa de Moraes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.