Análise histológica do trato gastrintestinal de avestruzes jovens (Struthio camelus Linnaeus, 1758)

Cristina Maria Rodrigues Monteiro, Nair Trevisan Machado de Souza, Roberto Gameiro de Carvalho, Wilson Machado de Souza

Resumo


Aspectos histológicos do trato gastrintestinal do avestruz (Struthio camelus) são pouco estudados, portanto, é de interesse desta pesquisa ampliar tais estudos. Para isso foram obtidas amostras de diferentes segmentos do tubo digestório de cinco avestruzes jovens, com idade entre 20 a 30 dias. Com base nos resultados obtidos pudemos concluir que os diferentes segmentos do tubo digestório do avestruz jovem apresenta a mesma estrutura geral de outras aves e mamíferos domésticos, com pequenas diferenças, como ausência de inglúvio e vesícula biliar, intestino grosso maior que o intestino delgado e ceco com propriedades fisiológicas semelhantes ao estômago de ruminantes.  Estas variações são inerentes à espécie ou podem ser decorrentes da idade e hábito alimentar. Esperamos que esta análise contribua para uma melhor compreensão dos processos fisiológicos relacionados à nutrição e ao manejo do avestruz durante seu crescimento.


Palavras-chave


Avestruz; Histologia; Trato gastrintestinal

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n3p149

Direitos autorais 2011 Cristina Maria Rodrigues Monteiro, Nair Trevisan Machado de Souza, Roberto Gameiro de Carvalho, Wilson Machado de Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.