Conhecimento de moradores sobre frugivoria por aves em uma região urbanizada e com fragmentos de restinga no sudeste do Brasil

César Cestari

Resumo


O conhecimento ecológico é importante para revelar a consciência ambiental de pessoas, refletindo em ações para conservação no meio ambiente onde vivem. No presente estudo foi avaliado o conhecimento de moradores sobre frugivoria por aves em fragmentos da restinga, um ecossistema ameaçado pela crescente ocupação humana. Entrevistas semi-estruturadas foram aplicadas para 73 moradores em dois bairros da cidade de Itanhaém, litoral sul do estado de São Paulo. A maioria das respostas evidenciou pouca observação de frugivoria por aves em plantas nativas. Os moradores demonstraram dificuldades na identificação de aves frugívoras e na discriminação de plantas nativas da região. No entanto, possuíam conhecimento lógico de processos ecológicos envolvendo as interações entre aves e plantas. A ave popularmente conhecida como tiê-sangue (Ramphocelus bresilius) e a palmeira jerivá (Syagrus romanzoffiana) foram mais frequentemente citadas. Essas espécies são facilmente encontradas na restinga da região e apresentam características estruturais que atraíram a atenção das pessoas tais como cor vermelho intenso e elevada altura, respectivamente. Dessa forma, as epécies citadas podem ser utilizadas para trabalhos iniciais envolvendo identificação de aves e plantas, e para o aprofundamento da educação ambiental dos moradores locais.


Palavras-chave


Dispersão; Etnologia; Frutos; Ramphocelus bresilius

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2009v22n3p221

Direitos autorais 2011 César Cestari

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.