Aspectos morfofisiológicos e bromatológicos do capim-torpedo (Panicum repens L., Poaceae)

Francieli Cristina Tosati, Simone Meredith Scheffer-Basso

Resumo


Este trabalho avaliou alguns aspectos morfofisiológicos e bromatológicos do capim-torpedo (Panicum repens L.), através da quantificação do acúmulo, alocação e composição química da massa seca (MS) na primavera-verão. Foram feitas quatro colheitas destrutivas, das partes aérea e subterrânea, em: 23/10 e 3/12/2003, 22/01 e 20/02/2004, correspondendo a 31, 73, 123 e 152 dias após o início da primavera. Nessas colheitas, o acúmulo de MS aérea foi, respectivamente: 1.650, 4.470, 10.900 e 14.540 kg/ha na parte aérea, com percentual de folhas entre 45% (1a colheita) e 35% (última colheita). Os teores de proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA) variaram, da 1a para a última colheita, de 9,9 para 7% (PB), 63,9% para 70,3% (FDN) e de 37% para 40,8% (FDA), em amostras contendo folhas, caules, inflorescências e estolões. A alocação da MS para rizomas (Riz), raízes (R), folhas (F), colmos+estolões (C) e inflorescências (I) variou, entre a 1a e a última colheita, de: 42 para 19% (Riz), 10 para 7% (R), 22 para 27% (F), 25 para 44% (C) e 0 para 2% (I).

Palavras-chave


Capim-furachão; Crescimento; Forrageira; Invasora

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2007 Francieli Cristina Tosati, Simone Meredith Scheffer-Basso

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.