O caranguejo-de-água-doce, Trichodactylus fluviatilis (Latreille, 1828) (Crustacea, Decapoda, Trichodactylidae), na concepção dos moradores do povoado de Pedra Branca, Bahia, Brasil.

Eraldo Medeiros Costa Neto

Resumo


Os caranguejos dulcícolas são elementos importantes da biota aquática de riachos, rios, lagos e açudes, tanto pelo aspecto ecológico quanto pelo econômico. Considerando que Trichodactylus fluviatilis (Latreille, 1828) é importante como fonte de alimento para as populações humanas que habitam próximas aos locais de sua ocorrência, este artigo registra, pela primeira vez, um estudo etnocarcinológico realizado com moradores do povoado de Pedra Branca, Estado da Bahia. Os dados foram obtidos de fevereiro a junho de 2005 mediante entrevistas abertas e semi-estruturadas, recorrendo-se às técnicas usuais de registro etnográfico. Foram entrevistados 16 mulheres e 11 homens, cujas idades variaram de 25 a 86 anos. Os resultados revelam que o conhecimento etnocarcinológico dos moradores de Pedra Branca com relação a T. fluviatilis é relativamente coerente com o conhecimento acadêmico. Sugere-se o seguimento de estudos etnozoológicos que enfatizem a importância cultural dos crustáceos dulcícolas, pois representariam uma importante contribuição à questão da conservação da biodiversidade nos ambientes em que são encontrados.

Palavras-chave


Etnozoologia; Carcinologia; Trichodactylidae; Conhecimento tradicional

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2007 Eraldo Medeiros Costa Neto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.