Ocupação de caixas de nidificação por vertebrados de pequeno porte em área de Floresta Atlântica no sul do Brasil, e sua viabilidade de uso

Marcos Adriano Tortato, Edwin R. Campbell Thompson

Resumo


Diversas espécies animais encontradas na Floresta Atlântica são dependentes de cavidades naturais para reprodução, abrigo ou alimentação. Alguns aspectos da ecologia desses animais podem ser avaliados com o uso de caixas de nidificação. Em vista disto, foi desenvolvido um estudo com 48 caixas de nidificação confeccionadas com embalagens do tipo “Tetra Pak”. Foram amostradas quatro áreas de Floresta Atlântica em diferentes estágios sucessionais, no município de Santo Amaro da Imperatriz, no sul do Brasil, de agosto de 2001 a agosto de 2003. Procurou-se verificar: 1) a ocupação das caixas por vertebrados de pequeno porte; 2) a preferência das espécies por caixas fixadas a 2 ou 4m de altura, e pela posição do orifício de entrada (frontal ou lateral); e 3) a viabilidade do uso destas caixas em pesquisas de campo. Quatro espécies foram registradas: um anuro (Hyla sp.; uma ocupação), um lagarto (Enyalius iheringi; uma ocupação), o canário-da-terra (Sicalis flaveola; 23 ocupações) e uma cuíca (Micoureus paraguayanus; cinco ocupações). A maior parte das ocupações foi registrada nas áreas em estágios mais iniciais de sucessão. Não houve preferência pela altura e posição do orifício de entrada. As caixas mostraram-se relativamente duráveis e úteis em pesquisas de fauna dependentes de cavidades.

Palavras-chave


Caixa de nidificação; Sicalis flaveola; Micoureus paraguayanus; Floresta Atlântica; Santa Catarina

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2006 Marcos Adriano Tortato, Edwin R. Campbell Thompson

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.