Seleção de áreas para criação de Unidades de Conservação na Floresta Ombrófila Mista

João de Deus Medeiros, Maurício Savi, Bernardo Ferreira Alves de Brito

Resumo


A Floresta Ombrófila Mista (Floresta de Araucária), floresta típica da região sul do Brasil, apresentava uma área de distribuição original situada entre 200.000 a 250.000 km². Abrigando componentes arbóreos de elevado valor comercial, como a Araucaria angustifolia (pinheiro) e a Ocotea porosa (imbuia), esta floresta foi alvo de intenso processo de exploração predatório. Atualmente os remanescentes florestais não perfazem mais do que 1% da área original, e suas espécies arbóreas estão relacionadas na lista oficial de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção. Em 2002, o MMA editou as portarias no 507 e 508, estabelecendo áreas prioritárias para criação de unidades de conservação na FOM. As portarias sofreram alterações com a edição das Portarias do MMA, no 176 e 178, dando-se início aos trabalhos efetivos nas áreas estabelecidas. A Força-Tarefa das Araucárias foi constituída com a participação de técnicos do MMA, IBAMA, IAP, FATMA, UFSC e Entidades Ambientalistas. A Metodologia adotada incluiu estratégias de envolvimento dos atores locais, prefeituras municipais e proprietários de terra. O trabalho teve como objetivo levantar dados para o estabelecimento das áreas de maior relevância para a conservação biológica no bioma Mata Atlântica. Foram identificados e analisados quatro fragmentos, indicando-se aquele de maior relevância para a conservação biológica.

Palavras-chave


Araucaria angustifolia; Unidade de conservação; Mata Atlântica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2005 João de Deus Medeiros, Maurício Savi, Bernardo Ferreira Alves de Brito

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.