Parasitóides (Insecta: Hymenoptera) de dípteros (Insecta: Diptera) coletados em diferentes altitudes e substratos no Parque da Serra de Caldas Novas, Goiás, Brasil

Carlos H. Marchiori, Otacílio M. Silva Filho, Francilene C. O. A. Fortes, Patrícia L. G. P. Gonçalves, Relia R. Brunes, Juliana F. Laurindo, Rauer Ferreira Borges

Resumo


Este trabalho relata a ocorrência de parasitóides de dípteros em cinco diferentes substratos: fezes humanas, fígado de bovino, frutas, frango e peixe nas altitudes de 740 e 1000 metros, no Parque da Serra de Caldas Novas, em Caldas Novas, Goiás, Brasil. As pupas foram obtidas pelo método de flutuação e individualizadas em cápsulas de gelatina até a emergência dos adultos de dípteros ou de seus parasitóides. Durante o período de agosto de 2003 a julho de 2004 foram coletados 1407 parasitóides emergidos de 2946 pupários de dípteros, sendo que 211 espécimes de parasitóides foram coletados na altitude de 740 metros e 1196 espécimes na altitude de 1000 metros. Nasonia vitripennis (Walker) (Hymenoptera: Pteromalidae) foi a espécie mais freqüente na altitude de 1000 metros com 79,6% dos espécimes coletados. A porcentagem total de parasitismo a 740 e 1000 metros foram de 13,4% e 9,1%, respectivamente.

Palavras-chave


Controle biológico; Inimigo natural; Armadilhas; Iscas; Nasonia vitripennis

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2005 Carlos H. Marchiori, Otacílio M. Silva Filho, Francilene C. O. A. Fortes, Patrícia L. G. P. Gonçalves, Relia R. Brunes, Juliana F. Laurindo, Rauer Ferreira Borges

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.