Parasitóides (Insecta: Hymenoptera) de dípteros (Insecta: Diptera) coletados em diferentes altitudes e substratos no Parque da Serra de Caldas Novas, Goiás, Brasil

Autores

  • Carlos H. Marchiori Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA
  • Otacílio M. Silva Filho Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA
  • Francilene C. O. A. Fortes Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA
  • Patrícia L. G. P. Gonçalves Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA
  • Relia R. Brunes Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA
  • Juliana F. Laurindo Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA
  • Rauer Ferreira Borges Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Controle biológico, Inimigo natural, Armadilhas, Iscas, Nasonia vitripennis

Resumo

Este trabalho relata a ocorrência de parasitóides de dípteros em cinco diferentes substratos: fezes humanas, fígado de bovino, frutas, frango e peixe nas altitudes de 740 e 1000 metros, no Parque da Serra de Caldas Novas, em Caldas Novas, Goiás, Brasil. As pupas foram obtidas pelo método de flutuação e individualizadas em cápsulas de gelatina até a emergência dos adultos de dípteros ou de seus parasitóides. Durante o período de agosto de 2003 a julho de 2004 foram coletados 1407 parasitóides emergidos de 2946 pupários de dípteros, sendo que 211 espécimes de parasitóides foram coletados na altitude de 740 metros e 1196 espécimes na altitude de 1000 metros. Nasonia vitripennis (Walker) (Hymenoptera: Pteromalidae) foi a espécie mais freqüente na altitude de 1000 metros com 79,6% dos espécimes coletados. A porcentagem total de parasitismo a 740 e 1000 metros foram de 13,4% e 9,1%, respectivamente.

Biografia do Autor

Carlos H. Marchiori, Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA

Possui Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia, Mestrado em Parasitologia pela Universidade Estadual de Campinas e Doutorado em Parasitologia pela Universidade Estadual de Campinas.

Mais informações no Currículo Lattes.

Otacílio M. Silva Filho, Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA

Possui Graduação em Ciências Biológicas pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara. Pós-graduação em Análises Clínicas pela Universidade de Franca (UNIFRAN). Atualmente é Biólogo (Assessor Técnico para Laborclin Produtos para Laboratório LTDA de Pinhais - Paraná).

Mais informações no Currículo Lattes.

Francilene C. O. A. Fortes, Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA

Doutorado em Agronomia (Irrigacao e Drenagem) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, e Graduação em Agronomia pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara.

Mais informações no Currículo Lattes.

Relia R. Brunes, Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA

Possui Graduação em Agronomia pelo Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara e Mestrado em Agronomia [Fitotecnia] pela Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente cursa o Doutorado em Agronomia [Produção Vegetal] na linha de pesquisa em nutrição e manejo de plantas agrícolas, pela Universidade Federal de Santa Maria-RS.

Mais informações no Currículo Lattes.

Rauer Ferreira Borges, Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara-ILES-ULBRA

Possui Graduação em Agronomia pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA, Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Goiás - UEG.

Mais informações no Currículo Lattes.

Downloads

Publicado

2005-01-01

Edição

Seção

Artigos