Estrutura populacional de Clusia criuva Cambess. (Clusiaceae) e relação espacial com espécies de bromélias no Parque Municipal das Dunas da Lagoa da Conceição, Florianópolis, SC

Autores

  • Tatiane Beduschi Universidade Federal de Santa Catarina.
  • Tânia Tarabini Castellani Universidade Federal de Santa Catarina.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n2p41

Palavras-chave:

Dunas, Restinga, Facilitação, Clusia criuva, Vriesea friburgensis.

Resumo

A restinga impõe dificuldades ao estabelecimento das plantas. Clusia criuva ocorre neste ambiente, estando presente no Parque Municipal das Dunas da Lagoa da Conceição, Florianópolis, SC, Brasil. Em locais onde os recursos são escassos e as condições abióticas são estressantes, é comum a ocorrência de interações positivas (facilitação) entre plantas. Alguns trabalhos sugerem bromélias como plantas facilitadoras em região de restinga. O presente estudo descreveu a estrutura populacional de C.criuva em dois hábitats de restinga, um de duna interna e outro de baixada seca ou pouco alagada, ambos com vegetação herbácea/subarbustiva. O trabalho avaliou diferenças estruturais das duas populações e se havia relação da ocorrência de C. criuva com espécies de bromélias. O padrão de distribuição se revelou agregado, com densidade baixa. As plantas da área de baixada eram mais jovens, sugerindo uma colonização recente. Na área de duna foi constatada uma relação entre os indivíduos de C. criuva e as bromélias Vriesea friburgensis Mez var. paludosa (L. B.Smith) L. B. Smith. Esta relação não foi encontrada na área de baixada, que apresenta condições mais amenas como maior disponibilidade de água e nutrientes.

Biografia do Autor

Tatiane Beduschi, Universidade Federal de Santa Catarina.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia Vegetal. Atualmente faz mestrado em Ecologia na Universidade Federal de Santa Catarina e especialização em Gestão Ambiental pela Faculdade Padre João Bagozzi. É bolsista pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).Certificado pelo autor em 29/06/10

Tânia Tarabini Castellani, Universidade Federal de Santa Catarina.

Possui graduação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980) ,mestrado em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (1986) e doutorado em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (2003) . Atualmente é Professor adjunto IV da Universidade Federal de Santa Catarina, Revisor de periódico da Acta Botanica Brasilica, Revisor de periódico da Biotemas (UFSC), Revisor de periódico da Revista Brasileira de Entomologia, Revisor de periódico da Atlântica e Revisor de periódico da Revista Brasileira de Botânica. Tem experiência na área de Ecologia. Atuando principalmente nos seguintes temas: duna frontal, dinâmica de praia, Dinâmica de populações, Ipomoea pes-caprae. 07/08/11Certificado pelo autor em 07/08/11

Downloads

Publicado

2008-01-01

Edição

Seção

Artigos